24 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
EM CORUMBÁ

Ataque de abelhas em pescadores que foram encontrados mortos em Rio Miranda está descartado, diz comandante

Os corpos de Dirceu Casagrande, 66, Nelson Balbinot, 65, e João Melitão Cagni, 59, foram encontrados no domingo (26), segunda (27) e terça-feira (28), respectivamente

29 julho 2020 - 14h30Carlos Ferreira
No barco, a chave de segurança estava engatada e todos os coletes na embarcação
No barco, a chave de segurança estava engatada e todos os coletes na embarcação - (Foto: Reprodução)

Saiba Mais

A morte de dois pescadores e um piloto que estavam desaparecidos desde a última sexta-feira (24) no Rio Miranda em Corumbá, a 400 km de Campo Grande, ainda está intrigando a população. Os corpos de Dirceu Casagrande, 66, Nelson Balbinot, 65, e João Melitão Cagni, 59, foram encontrados no domingo (26),  segunda (27) e terça-feira (28), respectivamente.

A causa da morte está sendo investigada, mas a possibilidade do trio ter sido “atacado” por um enxame de abelhas e, para fugir, pularam na água que estaria cheia de piranhas, é pouco provável segundo o comandante do Corpo de Bombeiros de MS, Cel. Joilson Amaral. “No local que os pescadores passaram não tem nenhum sinal de abelhas ou algo assim. A informação do ataque das abelhas veio das famílias ribeirinhas que moram na região, mas a colisão que o barco teve com a árvore é o principal indício de que tenha sido o motivo deles caírem na água e não conseguirem nadar até a margem. Não acreditamos que tenha sido um ataque de abelhas a causa deles pularem no rio, já que eles teriam deixado para trás todos os coletes”, explica ao portal A Crítica.

Os três amigos pescavam  no Pantanal há muitos anos e mantinham um rancho em Albuquerque

O trabalho para encontrar os três corpos durou quatro dias e contou com cinco bombeiros, dois de Corumbá e três de Campo Grande. A Capitania Fluvial do Pantanal, órgão subordinado à Marinha, removeu o barco dos turistas e percorreu um trecho de mais de 15 km da margem do rio Miranda para localizar os pescadores. A embarcação alugada foi encontrada na margem direita do rio, no Distrito de Albuquerque, a 64 km do perímetro urbano. No barco, a chave de segurança estava engatada e todos os coletes na embarcação. Os três amigos pescavam no Pantanal há muitos anos e mantinham um rancho em Albuquerque.

 “Os corpos foram encontrados totalmente deteriorados, por conta dos ataques de piranha. A única evidência que temos até o momento é o amassado na estrutura do barco, e vamos continuar trabalhando em cima disso”, ressaltou o Cel Amaral.

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS INTERNO

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia o retorno do ensino presencial em escolas públicas ainda no ano de 2020?

Votar
Resultados
FORT ATACADISTA - Carne Fresca (interno)
pmcg ms
TJ MS