25 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
senar
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
VISITA

Áustria pode implementar ações de combate à violência contra mulher criadas em MS

Paulo Corrêa destacou as ações do Parlamento Estadual, consideradas marcos legais das políticas públicas para as mulheres vítimas de violência.

25 fevereiro 2019 - 11h15Heloíse Gimenes
MÊS DA ECONOMIA COMPER

Saiba Mais

A embaixadora da Áustria no Brasil Irene Giner-Reichl foi recebida pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa (PSDB), na manhã desta segunda-feira (25). Acompanhada pela responsável do Centro de Intervenção de Proteção à Mulher de Viena, Kerstin Shinerl, e da subsecretária municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, Carla Stephanini, a diplomata está em Mato Grosso do Sul para conhecer as ações que são realizadas para minimizar a violência contra a mulher e acolher as vítimas.

“Vamos à Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande, com o intuito de conhecer as técnicas adotadas que podem ser incorporadas em Viena. Assim como muitos países, nós também encontramos dificuldades no que compete à implementação de uma rede de proteção e atendimento à mulher vítima de violência. Por isso, é importante a troca de experiências”, disse a embaixadora.  

A Casa da Mulher Brasileira, que amanhã completará quatro anos de existência, oferece serviços integrados, como acolhimento, apoio psicossocial, Delegacia Especializada, 3ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Promotoria de Justiça, promoção de autonomia econômica, alojamento e central de transportes. Na reunião, o deputado estadual Professor Rinaldo (PSDB) comentou sobre os projetos aprovados pela Assembleia Legislativa, como Maria da Penha Vai à Escola e Agosto Lilás.

Paulo Corrêa destacou as ações do Parlamento Estadual, consideradas marcos legais das políticas públicas para as mulheres vítimas de violência. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), a violência contra as mulheres persiste em todos os países do mundo como uma violação contundente dos direitos humanos e como um impedimento na conquista da igualdade de gênero.

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS