01 de dezembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
SESI - Campanha Industria Geração de Empregos 2
chiquititas

Foragido que alegou ter nascido em MS ainda não foi preso

O delegado explicou que os policiais voltaram atrás da informação, de que Cupertino teria sido reconhecido pelos agentes em uma blitz de trânsito no município de Centenário do Sul (PR)

28 outubro 2020 - 14h40Da Redação
O procedimento foi realizado no Posto do IIPR (Instituto de Identificação do Paraná) conveniado com a Prefeitura do município de Jataizinho
O procedimento foi realizado no Posto do IIPR (Instituto de Identificação do Paraná) conveniado com a Prefeitura do município de Jataizinho - (Foto: Divulgação)
Fort Atacadista Natal

Saiba Mais

Após viralizar nas redes a informação de que Paulo Cupertino Matias havia sido capturado na manhã desta quarta-feira (28) pela Polícia Militar do Paraná, o delegado-geral Ruy Ferraz Fontes da polícia de São Paulo confirmou que o foragido ainda não foi preso.

O delegado explicou que os policiais voltaram atrás da informação de que Cupertino teria sido reconhecido pelos agentes em uma blitz de trânsito no município de Centenário do Sul (PR).

Como noticiado pelo portal A Crítica ontem (27), a procura pelo acusado continua intensa, principalmente após a descoberta de que Cupertino fez um documento falso no Paraná, utilizando uma certidão de nascimento, a princípio em nome de outra pessoa e com local de nascimento em Rio Brilhante, a 158 km de Campo Grande. O procedimento foi realizado no Posto do IIPR (Instituto de Identificação do Paraná) conveniado com a Prefeitura do município de Jataizinho.

Ele foi incluído na lista dos 24 criminosos mais procurados pela polícia de São Paulo. Paulo está foragido desde 9 de junho de 2019, quando atirou 13 vezes em Rafael e no casal João Alcisio Miguel, 52 anos, e Miriam Selma Miguel, 50, no bairro da Pedreira, na zona sul.

Em 19 de junho de 2020, a Justiça converteu o mandado de prisão temporária dele em preventiva. O assassino teria agido por não aceitar o namoro da filha dele com Rafael Miguel.

Banner Whatsapp Desktop
Departamento de Operações de Fronteira - Disque Denúncia
PREF DE MJU