07 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Economia

Cesta Básica Alimentar tem alta de 2,4% no mês de dezembro na Capital

7 janeiro 2014 - 14h00
Cassems

Saiba Mais

O custo da Cesta Básica Alimentar em Campo Grande continua em elevação, pelo quarto mês consecutivo, e em dezembro teve alta acelerada, registrando inflação de 2,40%, em relação ao apurado no mês anterior. Como foi divulgado ontem, a inflação geral da Capital obteve uma moderada elevação, ficando até abaixo do custo da cesta, divulgado hoje (7) pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia (Semac), que faz levantamento mensal da variação de preços na Capital. No acumulado de todo o ano passado, o índice marcou variação positiva de 5,64%.

O índice do mês passado, marcou maior percentual de alta, do que a inflação geral, pois somou-se os fatores de um mês de consumo devido as festas e devido ao reajuste de hortifrutis, principalmente no tomate, que fez os preços ficarem mais caro. Os 15 produtos, que compõem a cesta, foram adquiridos por R$ 285,46 em dezembro, contra R$ 278,76 em novembro.

A alta que ocorreu nos três últimos meses de 2013, com menos intensidade em outubro e novembro, se deve ou retorna ao vilão do inicio do ano, no preço alto do tomate, que foi o item que apresentou maior variação de preços na pesquisa. Como 'A Critica' publicou em novembro, de acordo com a análise as constantes chuvas ocorridas no mês de outubro nas principais regiões produtoras do tomate afetaram sua qualidade elevando seu preço em 9,77%.

No mês passado, dentre os 15 produtos pesquisados, que compõem a Cesta, nove tiveram preços elevados, com destaque para: tomate 8,16%; alface 7,84%; laranja 5,24%; margarina 4,50%; açúcar 3,31%; batata 2,47%; banana 1,95%; carne 0,72% e macarrão 0,44%. Os produtos que registraram queda de preços foram arroz 3,69%; sal 2,22 %; óleo 1,08% e feijão 0,90%, enquanto que o pão e o leite mantiveram seus preços inalterados.

Avaliações

Com a produção do tomate afetada pelas chuvas ocorridas no mês em questão, o produto diminuiu seu volume ofertado no mercado interno causando aumento em seu preço. Já a alface (+7,84%) e a laranja (+5,24%) tiveram o período de entressafra, com baixa oferta no mercado, como fator decisivo para a variação.

Alguns estabelecimentos pesquisados fizeram promoção de arroz, fazendo com que seu preço registrasse queda 3,69%. O volume ofertado de óleo esteve alto em decorrência da safra da soja que bateu recorde de produção, registrando baixa de 1,08%.

Cesta Básica Familiar

A pesquisa que levanta o custo da Cesta Básica Familiar também registrou alta de 1,02% em Campo Grande, em relação ao apurado no mês anterior. Os 44 produtos avaliados puderam ser adquiridos por R$ 1.275,29 ante o custo total de R$ 1.262,42. No acumulado dos últimos 12 meses elevação de 6,67%. Dentre os 44 produtos pesquisados, 27 apresentaram alta nos preços, dez tiveram queda e sete mantiveram os preços inalterados.

Pesquisa em toda cidade

São pesquisados mensalmente os preços desses produtos em 26 estabelecimentos varejistas de Campo Grande distribuídos em seis regiões (Centro I, Centro II, Norte, Sul, Leste e Oeste), sendo dois supermercados, um açougue e uma panificadora em cada região. Também são pesquisadas duas peixarias isoladas.

Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE