25 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
senar curso
EMPREENDEDOR

‘Tornar-se dono do próprio negócio, de maneira regularizada, beneficia tanto a pessoa quanto a comunidade’

Sebrae realizou Semana do MEI em 15 municípios de Mato Grosso do Sul, em que empreendedores tiveram orientação sobre negócios

13 maio 2017 - 13h19Alberto Gonçalves
Cláudio George Mendonça – Superintendente do Sebrae-MS
Cláudio George Mendonça – Superintendente do Sebrae-MS - Reprodução
MÊS DA ECONOMIA COMPER

O Sebrae de Mato Grosso do Sul realizou a Semana do MEI, evento direcionado a quem quer se tornar um microempreendedor individual ou aquele que já está em atividade e deseja formalizar e melhorar o próprio negócio.

A iniciativa contou com mais de 100 atividades em 15 municípios de Mato Grosso do Sul: Aquidauana, Bodoquena, Bonito, Campo Grande, Coxim, Dourados, Iguatemi, Itaquiraí, Ivinhema, Jardim, Mundo Novo, Naviraí, Nova Andradina, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas.

O evento teve informações sobre como se tornar e regularizar o MEI; além de dicas para buscar recursos financeiros, controlar o dinheiro, formular o preço de venda, comprar melhor e vender pela internet. Em alguns locais, também haverá atendimento com instituições financeiras para apresentação de opções de crédito, e tira-dúvidas com entidades como o Corpo de Bombeiros, a Vigilância Sanitária e a Prefeitura, dentre outras.

Para ser um microempreendedor individual é necessário faturar no máximo média de R$ 5 mil por mês e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular. Pode-se ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

O MEI é automaticamente enquadrado no Simples Nacional e está isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, paga apenas o valor fixo mensal de R$ 47,85 (comércio ou indústria), R$ 51,85 (prestação de serviços) ou R$ 52,85 (comércio e serviços) - destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS -, montante atualizado anualmente, conforme o salário mínimo.

Entre as vantagens da atividade estão o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) - o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos, a emissão de notas fiscais e a participação em processos licitatórios -; além de acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros.

Foram parceiros da Semana do MEI no estado: Associações Comerciais, Prefeituras Municipais/ Salas do Empreendedor, Amems, Agenfa, Corpo de Bombeiros, Sescon/MS, Receita Federal, IMAM, INSS, Senac/MS, instituições bancárias e cooperativas de crédito.

A reportagem do jornal A Crítica entrevistou o superintendente do Sebrae-MS, Cláudio Mendonça, para obter mais informações sobre a Semana e também sobre os serviços oferecidos pelo órgão.

O empresário, economista e advogado Cláudio George Mendonça é superintendente do Sebrae/MS há dez anos, e compõe a diretoria do Sindicato das Indústrias da Alimentação do Estado de Mato Grosso do Sul (SIAMS), instituição da qual já foi presidente. Sócio de uma indústria de alimentos e também produtor rural, tem vasta experiência nas áreas de gestão empresarial e liderança.

A Crítica - O que é essa semana do micro empreendedor individual?

Cláudio Mendonça - A Semana do MEI é uma ação nacional, direcionada a quem quer se tornar um microempreendedor individual, ou aquele que já está em atividade e deseja formalizar e melhorar o próprio negócio. Neste ano, aconteceu de 8 a 12 de maio, na Praça Ary Coelho em Campo Grande, e em outros 14 municípios do estado. As palestras, oficinas e atendimento especializado levaram conhecimento sobre como se tornar e regularizar o MEI; além de dicas para buscar recursos financeiros, controlar o dinheiro, formular o preço de venda, comprar melhor, vender pela internet; entre outros. Também houve atendimento com instituições financeiras para apresentação de opções de crédito, e tira-dúvidas com entidades como o Corpo de Bombeiros, a Vigilância Sanitária, a Prefeitura Municipal, dentre outras.

A Crítica - Qual a importância que ela tem para a economia local?

Cláudio Mendonça - Tornar-se dono do próprio negócio, de maneira regularizada, beneficia tanto a pessoa quanto a comunidade. Isso porque o MEI possibilita o acesso a diversos benefícios sociais aos quais o trabalhador informal não tem, a não ser que faça de forma privada; como auxílio-doença, auxílio-maternidade e aposentadoria. Sem contar que tornar sua atividade formalizada aumenta a autoestima tanto daquela pessoa que estava sem espaço no mercado, mas querendo produzir; quanto aqueles que trabalhavam na informalidade, com a sensação de estar fazendo algo de errado, ilegal. Em se tratando do coletivo, esse microempreendedor individual contribui com a economia local, já que a formalização permite ocupação a quem estava buscando uma oportunidade de emprego, e movimenta a economia atendendo a demandas que já existiam no município.

A Crítica - Com a criação do MEI houve um avanço na economia e até mesmo no empreendedorismo por parte das pessoas que têm ou pretendem abrir seu próprio negócio?

Cláudio Mendonça - Em 2008, o Governo tornou legal uma atividade que as pessoas já desempenhavam.  Diversos trabalhadores puderam ser donos do seu próprio negócio, um passo importante para quem sempre quis crescer, mas não tinha o reconhecimento do Estado.  Dessa maneira, precisava viver na informalidade, sem recolher impostos, nem ter orientação adequada para empreender.

A Crítica -  Embora o MEI tenha um limite para o faturamento, ele se constitui uma ferramenta para o pontapé inicial de um negócio?

Cláudio Mendonça - Com certeza. Há diversos casos de pessoas que começaram a empreender sozinhas e, com o tempo, o negócio prosperou. A formalização do negócio como Pessoa Jurídica (PJ) possibilita, entre outras vantagens, que o empreendedor atenda a clientes que exigem a emissão de nota fiscal; como, por exemplo, o caso do jardineiro que deseja prestar serviços em condomínios fechados, que na maioria das vezes exigem nota. Temos muitos relatos de empresas que aumentaram seu faturamento, demandaram mais funcionários e investimentos; e este crescimento fez com que o microempreendedor individual migrasse para microempresa.

A Crítica - Como obter informações sobre a adesão ao MEI?

Cláudio Mendonça - O Sebrae dispõe de quatro palestras -oficinas semanais sobre "Como se tornar um Microempreendedor Individual – MEI" (às 8h30 e às 14h30, às segundas e quartas-feiras) em sua sede na capital – Av. Mato Grosso 1.661, esquina com a Rua Bahia. Após participar dessas orientações e estar ciente de todos os benefícios e obrigações, o potencial empresário deve retornar ao nosso prédio na sexta-feira nesses mesmos horários com os documentos necessários em mãos, que são indicados durante a primeira capacitação. Dali, estando todos os requisitos preenchidos, a pessoa já sai com seu CNPJ em mãos. Quem já tem as informações e não quer sair de casa, pode seguir os passos para se formalizar por meio do Portal do Empreendedor – www.portaldoempreendedor.gov.br. Nosso site – www.ms.sebrae.com.br – tem maiores informações sobre a formalização como MEI.

A Crítica - Muitos tipos de serviços ainda não se enquadram dentro dessa proposta. A tendência é ampliar esse leque de oportunidades?

Cláudio Mendonça - Essa lista de atividades permitidas está disponível no próprio Portal do Empreendedor que mencionei anteriormente. O que posso afirmar é que, hoje, profissionais como médicos, advogados, entre outros, não se enquadram no microempreendedor individual. A ampliação da lista de atividades depende do Comitê Gestor do Simples Nacional e do Governo Federal decidir.

A Crítica - Além do MEI o que mais o Sebrae ajuda às pessoas que querem constituir seu negócio?

Cláudio Mendonça - O Sebrae tem palestras, oficinas, treinamentos, consultorias, missões técnicas, rodadas de negócios, dentre outras diversas soluções para quem quer abrir ou melhorar sua empresa. Atendemos microempreendedores individuais (MEIs), microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), de diversos segmentos. É, com certeza, um excelente custo-benefício para quem quer se manter e ainda ter destaque no mercado.

A Crítica - Existe uma programação de eventos para que os interessados possam saber e posteriormente participar dentro do Sebrae?

Cláudio Mendonça - Sim. Toda nossa programação de eventos está disponível em nosso Portal de Atendimento – www.ms.sebrae.com.br. Qualquer dúvida, as pessoas podem ligar também em nossa Central de Relacionamento, no telefone 0800 570 0800.

A Crítica - Há uma estatística de quantos microempreendedores individuais existem hoje em MS e quantos deles conseguiram alavancar seu negócio e se tornar ME ou outra empresa?

Cláudio Mendonça - Há em Mato Grosso do Sul 100,4 mil MEIs em atividade. Não temos os dados exatos de quantos já migraram para microempresa, mas posso garantir que são casos totalmente possíveis, conforme o MEI vá ganhando mercado e se capacitando.

A Crítica - O Sebrae oferece consultoria para qualquer tipo de negócio que a pessoa pretende abrir? Há um custo?

Cláudio Mendonça - O Sebrae oferece consultoria para todo tipo de negócio em situação legal. O investimento nas consultorias depende de cada caso; ou seja, o que será feito e quanto tempo levará. Dependendo da consultoria, pode haver subsídios de até 50% do valor dessas atividades e, no caso de projetos relacionados à inovação e tecnologia, esse montante pode chegar a 80%.

A Crítica - Qual é o primeiro passo a partir do momento em que uma pessoa pretende montar um negócio?

Cláudio Mendonça - Buscar orientação especializada. A pessoa deve primeiro ter acesso a conhecimento técnico, de mercado; e isso ela encontra no Sebrae e nas demais instituições do Sistema S.  A partir daí, pesquisa e planejamento são fundamentais, para conhecer o cliente, acertar no local e tipo de negócio, e reduzir assim os riscos de insucesso.

 

Banner Whatsapp Desktop
Comper sem sair de casa

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você conseguiu ficar em dia com todas as contas do início do ano?

Votar
Resultados
Comper sem sair de casa
TJ MS