20 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
aids

Mês de prevenção à Aids será focado na construção de cartilha para mulheres trans

A atenção está voltada para esse público por ser um dos mais vulneráveis

1 dezembro 2020 - 11h13
É possível encontrar o teste rápido para diagnóstico de HIV em todas as unidades básicas e de saúde da família
É possível encontrar o teste rápido para diagnóstico de HIV em todas as unidades básicas e de saúde da família - (Foto: Divulgação/PMCG)

O mês de dezembro é lembrado pela cor vermelha, simbolizando o combate e prevenção à Aids, e tendo a ideia como princípio, neste ano de 2020 a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) irá intensificar seus esforços na elaboração de uma cartilha de orientação para as mulheres trans da capital. A atenção está voltada para esse público, por ser um dos mais vulneráveis. 

Devido à pandemia do novo coronavírus, ações de testagem em massa, como acontecia em anos anteriores, não serão feitas, contudo é possível encontrar o teste rápido para diagnóstico de HIV em todas as unidades básicas e de saúde da família. O tratamento também pode ser feito em alguns desses pontos de testagem. 

A cartilha a ser elaborada contará com o apoio de representantes do núcleo, com o objetivo de tentar abranger a necessidade do maior número de mulheres trans possível. “Temos mulheres com uma idade mais avançada, outras que fizeram 18 anos agora, temos com um nível de escolaridade maior e uma delas inclusive sabe somente assinar o próprio nome. Nosso objetivo é formar um grupo mais heterogêneo possível para que possamos entender a necessidade de todas elas”, explica a coordenadora do programa de HIV da Sesau, Gabriela Alves. 

Quando expostas as necessidades dessas mulheres, a secretaria, juntamente com demais forças do poder público, mostrará os serviços que já existem e estão disponíveis para o público. Atualmente, a média de paciente com HIV é de 0,4% da população, contudo, quando observado somente o universo das mulheres transexuais, essa média salta para 33% dessa população. 

O objetivo é que a cartilha esteja concluída até o dia 29 de janeiro, que é o dia nacional da visibilidade trans. 

Diagnóstico 

O diagnóstico da infecção pelo HIV é rápido, podendo ser feito através de um teste, disponível em todas as unidades de saúde da capital, que demora até 20 minutos para ter o resultado. Além desse serviço, há também o auto-teste, que pode ser retirado no armário que está localizado no shopping Pátio Central, ou recebido por correios – sendo possível a retirada dele através do site https://www.ahoraeagora.org/ e está disponível para gays e homens que fazer sexo com outros homens. 

A busca pelo teste pode ser feita sempre que houver a suspeita de infecção ou quando houver relação sexual sem preservativos, e o tratamento, caso positivo, é feito em uma das seguintes UBFS e UBSs: Macaúbas, Jockey Club, Iracy Coelho, Parque do Sol, 26 de agosto, Buriti, Tarumã, Portal Caiobá, Caiçara, Aero Itália, Santa Carmélia, Lar do Trabalhador, Mata do Jacinto, Estrela Dalva, Jardim Noroeste, José Tavares, Vila Nasser, Clínica da Família Nova Lima, Itamaracá, Moreninha III, Tiradentes e Carlota. 

O serviço do Centro de Testagem e Aconselhamento também está disponível, contudo, a preconização é que os atendimentos sejam prioritários à população vulnerável, como profissionais do sexo, transexuais, travestis e população homoafetiva. 

Banner Whatsapp Desktop