20 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
CONGRESSO NACIONAL

Prioridades legislativas de dezembro são votações no Congresso, diz Cunha

Presidente da Câmara afirmou hoje que as prioridades são as votações de matérias como a alteração da meta fiscal

26 novembro 2015 - 19h25Da redação
Divulgação

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou hoje (26) que as prioridades legislativas de dezembro são as votações de matérias que precisam ser apreciadas em sessão do Congresso Nacional, como o projeto de alteração da meta fiscal para 2015.

“A bola não está na Câmara, nem no Senado. O problema está no Congresso, que tem antes que apreciar três vetos, [além] do projeto de lei de mudança de meta, da LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias] e da Lei Orçamentária”, disse Cunha.

O projeto que altera a meta fiscal precisa ser aprovado pelo Congresso, até porque envolve alterações na LDO de 2015. Enviado ao Congresso no fim de julho, o projeto aguarda a votação dos congressistas, em sessão conjunta de deputados e senadores. Caso o texto não seja aprovado antes do fim do ano, o governo precisará editar um novo decreto de contingenciamento para economizar os R$ 55,3 bilhões da meta original.

Cunha informou que já foram convocadas sessões do Congresso para terça (2) e quarta-feira (3) próximas para retomar a votação dos vetos presidenciais e, em seguida, do projeto de mudança de metas. De acordo com o deputado, esse ajuste de metas já deveria ter sido votado, até porque vai chegar dezembro e o governo, para adequar a realidade do que existe hoje na Lei Orçamentária, terá de  paralisar o Orçamento. "Se não paralisar e o projeto não for votado, o governo estará descumprindo a Lei Orçamentária”, ressaltou Cunha.

De acordo com Cunha, na Câmara, não existe “praticamente” nenhuma matéria da chamada pauta econômica pendente de votação. Ele disse que o projeto que fixa normas para o cálculo do teto de remuneração do servidor público e dos agentes políticos, previsto na Constituição, “é importante porque impõe um controle de gastos”. Além dessa matéria, a pauta da Câmara está trancada por projeto que trata do terrorismo, o que poderá ocorrer também por causa de medidas provisórias que estão sendo apreciadas nas comissões mistas.

Banner Whatsapp Desktop
SANESUL DIA DA ARVORE

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia o retorno do ensino presencial em escolas públicas ainda no ano de 2020?

Votar
Resultados
GAL COSTA
pmcg ms
TJ MS