21 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
sebrae revolution1
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
DELAÇÕES

Paulo Corrêa preside Comissão Especial que vai a Brasília buscar delação da JBS

Deputado explicou que a primeira providência da Comissão será ir a Brasília nos próximos dias buscar cópia da delação feita pelos irmãos Wesley e Joesley Bastista

31 maio 2017 - 09h19Da Redação com assessoria
Reunião da Comissão Especial da Assembleia Legislativa
Reunião da Comissão Especial da Assembleia Legislativa - Divulgação
O FLOR DA MATA - NOTICIAS

Em reunião realizada na tarde dessa terça-feira (30) na Assembleia Legislativa, o deputado Paulo Corrêa (PR) foi eleito presidente da Comissão Especial criada para investigar as denúncias da JBS contra o governador do Estado, Reinaldo Azambuja. O vice-presidente da comissão é o deputado Eduardo Rocha (PMDB) e o relator o deputado Flávio Kayat (PSB).

Paulo Corrêa explicou que a primeira providência da Comissão será ir à Brasília já nos próximos dias buscar cópia da delação feita pelos irmãos Wesley e Joesley Bastista.

 “O presidente Junior Mochi vai nos ajudar a marcar uma reunião em Brasília, no Supremo Tribunal Federal, com o ministro Edson Fachin, para que ele nos forneça dados oficiais. Vamos buscar cópia dessa delação premiada para trabalhar em cima dela e tomar as providências cabíveis, tanto nas secretarias, quanto com o próprio governador, que já se dispôs a estar aqui conosco”, anunciou.

De acordo com Paulo Corrêa a comissão tem o objetivo definido de apurar denúncias feitas na delação da JBS, mas que em uma segunda etapa irá apurar também as denúncias feitas na última semana por empresários do Estado sobre a suposta cobrança de propina envolvendo Azambuja e o alto escalão do governo.

“São duas coisas diferentes. Vamos primeiro analisar a delação da JBS e depois a denúncia desses empresários. Mas no primeiro momento vamos nos concentrar na delação do JBS, que ainda não foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal”, explicou.

O presidente da Comissão deixou claro que todo o trabalho será aberto à população e outros órgãos serão convidados para colaborar. Sobre os prazos, Paulo Corrêa afirmou que o objetivo é que tudo seja concluído o mais rápido possível, mas que a comissão precisa de tempo para apurar todas as denúncias. “Não temos como dizer um prazo final para essa comissão, mas vamos trabalhar o mais rápido possível dentro das nossas possibilidades”, concluiu. 

A Comissão definiu prazo de 120 dias, que poderá ser prorrogado. As reuniões vão acontecer todas as quartas-feiras, às 15h, no Plenarinho Nelito Câmara, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. 

Banner Whatsapp Desktop
FORT ATACADISTA - Carne Fresca (interno)

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia o retorno do ensino presencial em escolas públicas ainda no ano de 2020?

Votar
Resultados
SANESUL DIA DA ARVORE
TJ MS
pmcg ms