05 de dezembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
maracaju natal
POLÍTICA

Lula diz a Moro gostar muito de Zeca Pagodinho

14 maio 2017 - 10h26
Fort Atacadista Natal

O ex-presidente Lula revelou sua admiração pelo pagodeiro em uma etapa de grande tensão do seu interrogatório na quarta-feira, 10, quando esquivou-se de responder ao juiz Moro sobre reformas e cozinhas do tríplex e do sítio de Atibaia.

Em meio ao clima pesado que se instalou na sala de audiências da Justiça Federal em Curitiba, base da Lava Jato, durante o longo interrogatório a que foi submetido na quarta-feira, 10, pelo juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Lula disse ter admiração pelo cantor Zeca Pagodinho. Eu gosto muito do Zeca Pagodinho."

Jessé Gomes da Silva Filho, 56, é o Zeca Pagodinho, sambista, que gravou sucessos como Verdade, Ogum, Lama nas Ruas, Deixa a Vida me Levar e Minha Fé.

A revelação de Lula sobre sua simpatia pelo cantor se deu no trecho do interrogatório em que o juiz o indagou seguidamente sobre troca de e-mails entre executivos da OAS, empreiteira que teria bancado reformas e a instalação de cozinha de alto padrão no tríplex do Guarujá e também no sítio de Atibaia - ambas as propriedades a Lava Jato suspeita pertencer ao petista, o que é negado categoricamente por sua defesa.

Moro fez referência a uma contabilidade informal da empreiteira relativa a fluxo de recursos destinados aos dois empreendimentos. Nos e-mails, os executivos indicam a existência de centro de custos por eles denominado Zeca Pagodinho, um para o apartamento no litoral paulista, outro para a área rural do interior.

O juiz perguntou a Lula, em meio a constantes interrupções dos advogados de defesa, sobre o teor de um mensagem resgatada pelos peritos criminais federais. O texto faz parte do laudo 1475 e se refere aos projetos de reforma e implantação de cozinhas.

Ok, vamos começar quando? Vamos abrir dois centros de custos, um Zeca Pagodinho sítio e o segundo Zeca Pagodinho praia."

"Eu indago", seguiu o magistrado, o sr. não teve conhecimento do tratamento dessas reformas de implantação de cozinha do apartamento do Guarujá e do sítio de Atibaia concomitantemente pela OAS?", questionou o juiz.

"Você sabe que no depoimento do Léo (Pinheiro, ex-presidente da empreiteira e ex-amigo do petista), quando eu ouvi ele falar Zeca Pagodinho eu até gostei. Porque eu gosto muito do Zeca Pagodinho e fiquei sabendo no depoimento, porque ele (Léo) nunca me falou que me chamava de Zeca Pagodinho."

Em seguida, o ex-presidente esquivou-se. "Mas não houve essa conversa, sabe, comigo. Se houve entre eles é problema deles."

Nessa etapa do interrogatório, orientado por seus defensores, Lula não respondeu nenhuma pergunta sobre o sítio - alvo de outra investigação, desvinculada formalmente do processo do tríplex.

Na ação do imóvel do Condomínio Solaris, Guarujá, Lula é réu por corrupção e lavagem de dinheiro. A força-tarefa da Lava Jato sustenta que a OAS pagou R$ 3,7 milhões em propinas ao ex-presidente, parte do dinheiro investido nas obras do tríplex, parte na instalação da cozinha e parte para custear o armazenamento de bens que o ex-presidente recebeu de presente quando ocupava o Palácio do Planalto (2003/2010).

"O sr. ex-presidente também não teve conhecimento de que (executivos da OAS) teriam tratado desse assunto em conjunto?", insistiu o juiz.

"Não, comigo não."

A defesa, aqui, uma vez mais interrompeu alegando que o processo do tríplex cuida exclusivamente de três contratos entre a empreiteira e não sobre acusação relativa ao sítio.

Moro esclareceu que os dois imóveis são tratados simultaneamente nas mensagens de e-mail que constam dos autos do caso tríplex, daí a necessidade da reprodução em audiência dos trechos completos.

"Como aparentemente consta nessas mensagens que os projetos da cozinha do apartamento em Guarujá e da cozinha do sítio teriam sido submetidos à sua esposa (Marisa) em 2014 para aprovação o sr. tinha conhecimento disso?", seguiu o juiz.

"Não tomei conhecimento."

"Esses projetos foram também submetidos ao sr?"

"Não."

"O sr. Léo Pinheiro esteve com o sr. ex-presidente no sítio ou em São Bernardo (onde Lula mora) para discutir reforma ou com algum outro propósito em 2014?"

"Eu não posso responder, doutor. Eu não posso responder por e-mails ou por telefonemas entre terceiros, doutor. Eu aqui posso muito responder pelo que eu fiz ou pelo que eu não fiz."

Banner Whatsapp Desktop
Comper sem sair de casa

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

O que você pretende fazer com o 13º salário?

Votar
Resultados
Natal Comper
Departamento de Operações de Fronteira - Disque Denúncia
PREF DE MJU