03 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Política

Em resposta a protestos, PT reedita caravanas

24 fevereiro 2014 - 08h03
Candidatos do PT aos governos estaduais estão reeditando o modelo das "caravanas da cidadania", com as quais o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva percorreu o País nos anos 90, quando se candidatava à Presidência pela segunda vez. Os petistas seguem orientação do próprio Lula, que quer campanhas menos pautadas pelo marketing, e mais pelo contato direto com a população.
 
A ideia de revigorar essa estratégia vem do "susto das ruas", que abalou os alicerces do governo petista no ano passado e ameaça o projeto do partido de reeleger a presidente Dilma Rousseff em outubro. A onda de protestos que levou multidões às ruas no ano passado, questionando a administração petista, acendeu o sinal amarelo na cúpula partidária.
 
A avaliação é que o PT perdeu o canal de diálogo com a sociedade e precisa resgatar sua raiz popular. A palavra de ordem é arregaçar as mangas e gastar as solas dos sapatos em busca do voto da massa, que deu o recado de insatisfação com os políticos e desaprovação do modelo de gestão petista.
 
"O Lula está estimulando as caravanas", confirma o deputado federal Nilmário Miranda (PT-MG), ex-ministro dos Direitos Humanos, que vai integrar as marchas da pré-campanha de Fernando Pimentel ao governo de Minas.
 
O presidente nacional do PT, Rui Falcão, tem telefonado a dirigentes estaduais e recomendado a formação das caravanas. Lula compareceu ao lançamento das marchas de Alexandre Padilha, em Ribeirão Preto (SP), no dia 8, e de Fernando Pimentel, em Belo Horizonte, no dia 14.
 
"Para governar tem que olhar nos olhos de cada um para lembrar que por trás que cada número tem um ser humano, um homem, uma mulher, uma criança", pregou Lula, ao lado de Pimentel, no pontapé da "Caravana da Participação" na capital mineira.
 
A estratégia, entretanto, confronta com a fórmula que consagrou Lula nas urnas em 2002: uma injeção de marketing na veia. Naquela eleição, Lula avisou que só concorreria pela quarta vez se o partido contratasse Duda Mendonça como marqueteiro. Sob resistência de uma ala petista, o publicitário deu palpites na roupa, na fala e na postura de Lula. Enterrou o "sapo barbudo" e criou em seu lugar o "Lulinha paz e amor", que saiu aclamado das urnas.
 
Mesmo assim, Lula avalia que a recriação das caravanas pode ser a estratégia para derrotar a hegemonia tucana em São Paulo, Minas e no Paraná. A prioridade absoluta é reeleger Dilma. A petista, entretanto, pode se valer do comando da máquina federal para percorrer o Brasil sob o pretexto das agendas oficiais. Ela mantém uma média de duas viagens por semana, a diferentes estados, com agendas de apelo popular, como solenidades de formaturas do Pronatec (ensino profissionalizante), entrega de máquinas a prefeitos e de moradias do Minha Casa, Minha Vida.
Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE