01 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
NA TRIBUNA

Confronto com morte de índio em Caarapó é debatido pelos deputados

Renato Câmara (PMDB), Mara Caseiro (PSDB) e Zé Teixeira (DEM) apontaram o Governo Federal como o grande responsável pelos conflitos fundiários em MS

15 junho 2016 - 13h45Da redação
Parlamentares lamentaram a morte de um índio durante um confronto ocorrido ontem
Parlamentares lamentaram a morte de um índio durante um confronto ocorrido ontem - Divulgação

Na sessão desta quarta-feira (15), os deputados estaduais lamentaram a morte de um índio durante um confronto ocorrido ontem na região de Caarapó. Renato Câmara (PMDB), Mara Caseiro (PSDB) e Zé Teixeira (DEM) apontaram o Governo Federal como o grande responsável pelos conflitos fundiários em Mato Grosso do Sul.

Oito pessoas ficaram gravemente feridas, policiais militares foram feitos reféns e as armas roubadas pelos índios. “Mato Grosso do Sul amanheceu em luto diante da tragédia que ocorreu em Caarapó. Índios e proprietários rurais são inocentes neste conflito cujo único responsável é o Governo Federal. A presidente Dilma Rousseff, antes de ser afastada, assinou uma Portaria ampliando a demarcação de terras, causando ainda mais problemas. Com tal atitude, não conseguiu pacificar a Nação”, disse Renato Câmara.   

Mara Caseiro (PSDB), 3ª vice-presidente da Casa de Leis, também falou do impasse no campo. “Estou indignada com essa situação, já que se passaram 14 anos e a União não solucionou esse problema. Os índios querem vida digna. Mesmo com a necessidade de ampliação de aldeias, não podem ser retirados os direitos dos proprietários de terra. Temos que nos reunir com o governador do Estado, o presidente da República e o Ministro da Justiça e pedir o resgate da ordem, mandar reforço policial para área de confronto, para não haver mais morte. Não dá par aceitar a falta de atitude da União. E as falsas lideranças indígenas usam a inocência e miséria para se aproveitarem dos povos indígenas”, registrou.

Para o deputado Coronel David (PSC), o direito à propriedade está sendo desrespeitado. “Um dos grandes direitos consagrados na Constituição Federal é o direito à propriedade. O ex-ministro José Eduardo Cardozo veio inúmeras vezes em Mato Grosso do Sul, discussões e reuniões intermináveis, sem chegar a um consenso. Há um descaso, não importa quem esteja sentado na cadeira. Lamento a situação de ontem em que os policiais foram feitos reféns, algemados e agredidos. A viatura foi queimada”, informou.

De acordo com o deputado Zé Teixeira (DEM), 1º secretário da Assembleia Legislativa, os proprietários da fazenda onde aconteceu o confronto vivem há décadas de forma pacífica com os índios. “A fazenda Yvu pertence à mesma família há 50 anos e a convivência com os indígenas sempre foi amistosa. Ontem, quem esteve à frente do conflito foram os índios mais jovens, pois perceberam a falta de ordem que se encontra nosso País. A falta de paz no campo se deve pela falta de respeito às leis”.

 

Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE