20 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Cidade

Setores do comércio, turismo e arquitetura discutem amanhã revitalização do centro

7 dezembro 2009 - 08h14
Denilson Secreta
Fort  Atacadista - 21 ANOS

 A intenção é mostrar aos representantes destes setores as discussões já realizadas que resultaram na versão preliminar do documento e abrir espaço para as observações desses segmentos diretamente interessados na reestruturação da área central de Campo Grande.

 O primeiro encontro será realizado com o setor da indústria e comércio, durante a reunião do Comcis (Conselho Municipal de Fomento ao Comércio, Indústria e Serviços) que acontecerá no dia 8 de dezembro, no auditório do Planurb, a partir das 14 horas. Presidido pelo vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e Agronegócio, Edil Albuquerque, o Conselho é formado por instituições nas esferas municipal, estadual e federal ligadas ao comércio e indústria, ao trabalho, à agropecuária, às entidades bancárias e de classes como a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil-MS), Sintaxi (Sindicato dos Taxistas), Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), entre outros setores.

Diversos segmentos do comércio e da indústria serão atendidos com os projetos de mobilidade urbana e de equipamentos sociais e culturais presentes nas diretrizes apresentadas na Proposta Preliminar, dentre eles o da alimentação, do transporte e hoteleiro. As diretrizes apontam indicativos que podem atrair direta ou indiretamente o turista para a região central da cidade, que ganhará novas intervenções, entre elas a revitalização da rua 14 de Julho. Junto com as ações na área central, somam-se, ainda, as obras já em andamento pela Prefeitura, como a Via Morena e a requalificação do Córrego Segredo que darão, ao campo-grandense e ao visitante da cidade, novas opções de visitação, incluindo o lazer gastronômico, contemplativo e de compras.

Integrantes do Trade Turístico

Essas e outras questões referentes à revitalização da área central, serão discutidas, também, no dia 17 de novembro, a partir das 14 horas, no auditório do Planurb, durante o encontro do Comtur (Conselho Municipal de Turismo). De acordo com a presidente interina do Comtur, Maria do Carmo Portocarrero, os integrantes do setor pretendem conhecer detalhadamente alguns pontos da Proposta Preliminar, principalmente aos referentes à sinalização turística. Recentemente, o prefeito Nelson Trad Filho anunciou recursos da ordem de R$ 487,5 mil, provenientes do Ministério do Turismo, para a implementação de projeto específico na área de difusão de informações de atrativos turísticos e que vão atender principalmente a área central e a região que abrange o roteiro do "City tour".

Maria do Carmo adiantou que a melhoria da difusão das informações turísticas em Campo Grande atenderá às expectativas do Ministério do Turismo que estabeleceu 65 destinos indutores do desenvolvimento turístico regional que precisam ser fortalecidos, entre eles a sinalização turística. “Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, a pedido do Ministério do Turismo, constatou em Campo Grande que a cidade precisa aprimorar a sinalização turística, o que justificou o pedido do projeto junto ao Ministério”, declarou a presidente do Comtur. Segundo Maria do Carmo, esse projeto será fundamental para difundir os atrativos turísticos e permitir a democratização do acesso ao bem cultural.

Momento histórico

Também no dia 17, a partir das 18h30min, representantes do IAB/MS (Instituto de Arquitetos do Brasil/MS) e estarão discutindo na sede do Crea-MS os principais pontos da Proposta Preliminar do Plano de Revitalização do Centro. A diretora-presidente do Planurb, Marta Lúcia da Silva Martinez argumenta que as discussões feitas até o momento e que propõem diretrizes para reestruturações urbanísticas vão contribuir não só para a revitalização econômica e do espaço urbano da área central, como também para a preservação do patrimônio histórico e cultural. “Esse é um momento histórico para a nossa cidade que discute um dos mais importantes projetos de requalificação urbana e que é um sonho antigo”, analisa Marta Martinez.

O Plano Local de Revitalização do Centro terá a versão final apresentada em janeiro de 2010. Em fevereiro serão feitas as revisões do texto e projetos de leis que serão encaminhados para votação na Câmara Municipal. A expectativa é de que até março o documento esteja concluído. As diretrizes apontadas devem considerar aspectos socioeconômicos, urbanísticos e ambientais para os próximos 20 anos.

Banner Whatsapp Desktop
AL MS
ALMS