20 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Lançamento

Pesquisadora lança livro sobre criação de Mato Grosso do Sul

26 outubro 2009 - 16h45
Fort  Atacadista - 21 ANOS

  Com base em fontes inéditas e raras, a autora analisa o recrudescimento do regionalismo sul-mato-grossense, que se transformou em divisionismo e teve o seu desfecho quase cem anos depois, quando, em 1977, a ditadura militar dividiu Mato Grosso e criou Mato Grosso do Sul. A obra tem patrocínio do Fundo de Investimentos Culturais de MS (FIC/MS).

 Problematizando a forma pela qual ocorreu essa separação, sem consulta às duas populações interessadas, norte e sul, a pesquisadora buscou o entrelaçamento das condições que possibilitaram a vitória de uma causa perdida não fosse a conjugação dos interesses regionais à geopolítica do regime militar, que, por sua vez, transcorria no contexto da Guerra Fria.

  Na sua visão, ter sido criado por um ato da ditadura constitui a marca de nascença de Mato Grosso do Sul, tema este que, ao ser contextualizado no cenário de interesses da oligarquia agrária sulista, nos projetos separatistas frustrados, na rivalidade com a capital Cuiabá, constitui a trama histórica do volume um.

  Além disso, como fator que contribuiu para viabilizar economicamente a divisão, a criação do gado nelore na região foi estudada como um processo que operou verdadeira revolução na pecuária nacional transformando o animal sagrado da fé indiana em ícone do agronegócio brasileiro.

  No volume dois, confrontando sonho e realidade, o estudo recaiu sobre o poder das elites dirigentes de Mato Grosso do Sul nesses trinta anos de existência, evidenciando práticas que haviam sido combatidas quando o sul ainda era Mato Grosso.

  Fechando a obra, a autora coloca em questão a tese do “modelo” que Mato Grosso do Sul seria apartando-se do norte, a incapacidade das forças políticas sul-mato-grossenses de formular um projeto de estado que justificasse a divisão, e a frustrante constatação de que talvez Mato Grosso do Sul esteja caminhando à deriva.

  Tal ausência contrasta com a conclusão sobre a herança recebida dessa história pelas atuais gerações sul-mato-grossenses: o desafio de compreender as razões que permearam a criação de Mato Grosso do Sul e de elaborar um projeto para o seu futuro.

  Valeu a pena a divisão de Mato Grosso? É a pergunta que, segundo a autora, precisa ser enfrentada porque é dela que emerge o desafio de um projeto político capaz de justificar que a criação de Mato Grosso do Sul não foi em vão.

Pesquisa de fôlego

  A obra agora oferecida ao público é resultado de um trabalho amadurecido em 15 anos de pesquisas. Marisa Bittar se dedicou a esse tema desde 1993 quando iniciou seu Doutorado em História na Universidade de São Paulo (USP). Em 1997, defendeu a tese “Mato Grosso do Sul: do estado sonhado ao estado construído” e, na ocasião, recebeu da banca examinadora o reconhecimento de que ela merecia ser publicada.

  Entretanto, com a intenção de fechar o ciclo dos primeiros trinta anos da história de Mato Grosso do Sul, continuou suas pesquisas para que em 2007 pudesse publicar a obra em dois volumes. Embora analisada e aprovada pelo Conselho da Editora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul a edição da obra não foi possível na ocasião por limitação de recursos financeiros.

  Consciente da importância do trabalho como fonte de estudo e pesquisa para todos os que se interessam pela história de Mato Grosso do Sul, a autora não desistiu de colocá-lo ao público. No início de 2009 concorreu ao edital do Fundo de Investimentos Culturais de MS (FIC/MS) que contemplou seu projeto.

  No dia 27 de outubro, no Museu de Arte Contemporânea (MARCO), a obra  - rica em referências e com citação de aproximadamente mil nomes relacionados à história do Estado - chega ao seu destinatário natural em embalagem especial e com preço de 20,00 reais no dia do lançamento.

Banner Whatsapp Desktop
PMCG
ALMS