26 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
senar
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
INTERNACIONAL

Parceiros dos EUA estão mais confortáveis com política de Trump, diz Tesouro

13 maio 2017 - 09h12
MÊS DA ECONOMIA COMPER

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, afirmou que os principais parceiros dos Estados Unidos "estão muito mais confortáveis" com as políticas comerciais do governo Trump e entendem que o crescimento da economia norte-americana irá beneficiá-los. Mnuchin deu a declaração após encontros com os principais parceiros comerciais do país, como Alemanha, Japão e Canadá, durante a reunião dos Ministros das Finanças do G-7, que acontece neste fim de semana em Bari, na Itália.

Mnuchin disse que suas reuniões com líderes de Finanças mundiais levaram a uma melhor compreensão da posição do presidente dos EUA de que o comércio deve ser justo e equilibrado, bem como aberto. Ele disse que eles entendem que "não queremos ser protecionistas, mas nos reservamos o direito de ser protecionistas na medida em que acreditamos que o comércio não é livre e justo".

Participam do G-7 Canadá, França, Itália, Alemanha, Japão, Estados Unidos e Reino Unido. A União Europeia também participa nas reuniões informais.

Anteriormente, as autoridades financeiras do grupo alertaram que o crescimento a longo prazo poderia permanecer baixo e que passos devem dados para fazer a economia global funcionar para todos. Eles também pediram um renovado esforço comum contra o crime cibernético, numa mensagem feita na esteira dos ataques realizados nesta sexta-feira em dezenas de países.

O ministro italiano das Finanças, Pier Carlo Padoan, disse que a sessão da manhã deste sábado sobre crime cibernético foi "infelizmente muito oportuna", numa referência à onda de ataques observada na sexta-feira nos quais arquivos foram bloqueados, com exigência de um resgate para desbloqueá-los.

A Itália, país anfitrião do encontro deste ano, queria que a reunião produzisse declarações sobre um crescimento mais justo e combate a evasão fiscal. Os acordos do G-7, apresentados sob a forma de uma declaração final, não são juridicamente vinculativos, mas representam um compromisso político.

A reunião do G-7 antecede um encontro de líderes que será realizado, entre 26 e 27 de maio em Taormina, na Sicília, também na Itália.
Fonte: Associated Press

Banner Whatsapp Desktop
Senar
TJ MS