24 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
OIE

OIE reconhece Brasil como país livre da pleuropneumonia contagiosa bovina

26 maio 2017 - 16h21

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheceu o Brasil como um país livre da pleuropneumonia contagiosa bovina, durante a reunião anual da entidade, realizada anteontem (24), em Paris. Segundo a OIE, o Brasil é um país que reflete transparência no seu serviço veterinário.

A pleuropneumonia contagiosa bovina é uma doença de bovinos e búfalos causada por bactérias e ataca os pulmões e a membrana (pleura) que reveste o tórax dos animais, o que gera uma taxa de mortalidade de até 50%. Para reduzir a infecção, existe vacinação com um tipo atenuado da bactéria. Não há casos de contágio em seres humanos nem risco à saúde pública.

De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luis Rangel, o reconhecimento da OIE é mais uma conquista da defesa sanitária animal brasileira. O próximo passo, segundo ele, será declarar o Brasil como país livre da aftosa com vacinação, o que deve ocorrer em maio de 2018.

Rangel disse que o Brasil já apresentou a estratégia que será usada para a retirada gradual da vacinação contra a aftosa.“O plano foi muito bem elaborado, sendo um dos melhores dos últimos tempos, formulado com a participação de todos os setores da produção envolvidos e com muita segurança”, frisou.

Mesmo com a vacina sendo um seguro tecnológico do rebanho, Rangel pondera que se o país for declarado livre da doença, é natural que seja planejada a retirada da imunização, o que reduzirá os custos de produção. “Mas será uma transição feita com cuidado”, assinala.

O prazo para o setor privado enviar propostas sobre como deverá ser feita a retirada da vacinação será encerrado na próxima terça-feira (30).

* Estagiária sob a supervisão do editor Augusto Queiroz

Banner Whatsapp Desktop
FORT ATACADISTA - Carne Fresca (interno)

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia o retorno do ensino presencial em escolas públicas ainda no ano de 2020?

Votar
Resultados
GAL COSTA
pmcg ms
TJ MS