19 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2

Mato Grosso do Sul paga R$ 1,7 milhão por dia para abater os juros de dívida

Fort  Atacadista - 21 ANOS

   O pagamento dos juros da dívida pública está custando aos cofres públicos em média R$ 1,7 milhão por dia. É o que revela a prestação de contas referente ao primeiro quadrimestre de 2009 apresentada na Assembleia Legislativa
 pelo secretário-adjunto de Fazenda, Gilberto Cavalcante.De janeiro a abril foram destinados R$ 205,9 milhões ao pagamento de dívidas, o que corresponde a R$ 51 milhões por mês. Em uma conta simplista é quase R$ 1,00 por habitante ao dia, dinheiro que chega apenas para rebater os juros e que corresponde a quase três vezes o investido em infraestrutura. 

   As obras consumiram R$ 86 milhões nos primeiros quadro meses de 2009. Em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado, o valor destinado ao pagamento da dívida subiu 22%. 

   As despesas e investimentos também subiram no último quadrimestre. De acordo com a prestação de contas do Executivo, as despesas correntes aumentaram 16,72%, passando de R$ 1,4 bilhão, entre os meses de janeiro e abril de 2008, para R$ 1,6 bilhão nos mesmos meses de 2009. A variação também é maior do que a verificada entre 2007 e 2008, que somou 12,73%.

   As despesas com pessoal e encargos sociais passaram de R$ 520 milhões (janeiro a abril de 2008) para R$ 614 milhões no mesmo período deste ano, o que representa um aumento de 17,96%. O percentual está muito acima do verificado entre os anos de 2007 e 2008, quando o aumento dos gastos representou 4,68%.

   Os investimentos somaram R$ 86,9 milhões, 42,27% mais do que o verificado em janeiro a abril de 2008 (R$ 61,1 milhões).

   Quanto às receitas, secretário Cavalcante informou que totalizaram aumento de 6,97%, passando de R$ 1,9 bilhão, de janeiro a abril de 2008, para R$ 2,1 bilhões, entre janeiro e abril de 2009. Ele explicou que, apesar da alta, o percentual está muito aquém da variação verificada no mesmo período dos anos de 2007 e 2008, quando foi notado incremento da receita de 18,37%.

   As operações de crédito, com empréstimos ao Estado liberados em 2009, somaram R$ 8,2 bilhões. Até então não haviam operações de crédito contabilizadas, conforme Cavalcante. O total das receitas (de capital mais as correntes) ficou em R$ 2,1 bilhões no primeiro quadrimestre. O valor representa aumento de 6,75% em relação ao mesmo período de 2008 (R$ 2 bilhões), mas está aquém da variação verificada entre os anos de 2007 e 2008, quando o incremento notado foi de 21,10%.

Banner Whatsapp Desktop
PMCG
AL MS