04 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Indústria

Indústria de MS precisa contratar mais 9 mil trabalhadores até 2015

27 janeiro 2014 - 07h00
Cassems

Saiba Mais

A indústria de Mato Grosso do Sul aponta que precisará preencher uma demanda de contratações de nove mil trabalhadores qualificados nos próximos anos. Projeções enumeram que serão cerca de 4,3 mil profissionais por ano para atender à demanda por vagas industriais entre 2014 e 2015 no Estado. A quantia de trabalhadores no período, será requerido segundo estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os setores da construção civil, sucroenergético e alimentos/bebidas  são os três segmentos que  devem concentram a demanda por formação para novos empregos, segundo levantamento.

Ainda conforme o estudo, esses trabalhadores deverão ser contratados não apenas na indústria, mas também em outros segmentos da economia, como serviços, que também exigem profissionais com formação industrial, incluindo todos os tipos de ocupações (baixa e média qualificação, técnicos e profissionais de nível superior).

Contudo, essa contratação depende também de qualificação profissional, que deve ou deveria acontecer para se consolidar toda a mão de obra e preencher a demanda apontada nas projeções de necessidades regional. “Nossa intenção, como entidade de formação profissional voltada para a indústria, é atender a demanda do setor em MS por mão de obra qualificada”, pontuou o diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero.

O diretor-regional acrescenta que esse esforço vai ao encontro das necessidades das indústrias instaladas no Estado, que ressentem da falta de mão de obra qualificada para ampliar sua produção.

Por segmento

Segundo a projeção do Mapa do Trabalho Industrial, juntos, os três segmentos que vão requerer mais contratação, respondem por 58,7% da demanda por formação para atender a novos empregos industriais nesses dois anos, ou seja, 2,5 mil trabalhadores. na construção civil, sucroenergético e alimentos/bebidas.

De acordo com o levantamento da CNI, apenas o segmento da indústria de alimentos e bebidas deve abrir 1,5 mil vagas em dois anos, enquanto a indústria da construção civil oferecerá outras 757 vagas e o sucroenergético mais 297 postos de trabalho. 

Para atender essa demanda do setor industrial, o Senai vai oferecer somente neste ano de 2014 mais de 80 mil vagas e outras cerca de 80 mil para o próximo ano, totalizando mais de 160 mil vagas, a maioria gratuita, em diversos cursos de educação profissional distribuídos nas modalidades de nível superior, técnica, de qualificação, de aperfeiçoamento, de treinamento e de aprendizagem industrial.

Dados nacionais

No Brasil, segundo as projeções do Mapa do Trabalho Industrial, em 2014 e 2015 a necessidade é pela formação de 570 mil novos trabalhadores por ano para atender a novos postos gerados na indústria. Os cinco segmentos que concentram a maior demanda por formação para novos empregos são construção, alimentos e bebidas, indústria automotiva, indústria de máquinas e equipamentos e indústria de produtos de minerais não-metálicos.

Juntos, esses segmentos industriais devem responder por 53% da demanda por formação para atender a novos empregos na indústria. Se considerarmos o crescimento médio anual relativo projetado no emprego na indústria para os próximos anos destacam-se os seguintes segmentos: extração de petróleo e serviços relacionados, montagem de veículos automotores, extração de minerais metálicos, sucroenergética e celulose e papel.

A falta de profissionais qualificados é uma reclamação generalizada na indústria, porém é mais intensa entre trabalhadores de menor qualificação, que respondem pela maior parte do emprego na indústria. As queixas sobre a dificuldade em encontrar técnicos qualificados também são elevadas. Logo, os segmentos com maior proporção de trabalhadores de nível qualificado e técnicos, como construção civil e alimentação, são os que têm mais problemas de qualificação.

Quadros Comparativos

Demanda por formação industrial na Região Centro-Oeste - 2014/15

Estado

Trabalhadores

1º Goiás

21.958

2º Mato Grosso

14.148

3º Mato Grosso do Sul

8.682

4º Distrito Federal

768

Total

 

45.556

     

 

Demanda por formação industrial no Brasil - 2014/15

Estado

Trabalhadores

1º São Paulo

386.902

2º Minas Gerais

120.642

3º Rio Grande do Sul

111.742

4º Rio de Janeiro

92.138

5º Paraná

86.012

6º Santa Catarina

77.486

7º Bahia

37.762

8º Pernambuco

28.264

9º Pará

25.238

10º Espírito Santo

23.442

11º Ceará

23.132

12º Goiás

21.958

13º Amazonas

21.380

14º Alagoas

17.498

15º Mato Grosso

14.148

16º Rio Grande do Norte

10.462

17º Paraíba

9.608

18º Mato Grosso do Sul

8.682

19º Sergipe

8.614

20º Piauí

3.888

21º Maranhão

3.720

22º Rondônia

3.448

23º Tocantins

1.666

24º Amapá

1.500

25º Distrito Federal

768

26º Acre

712

27º Roraima

208

Total

 

1.141.020

       

 

 

Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE