24 de fevereiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Conflito Agrário

Índios denunciam caos na saúde e ameaçam ocupar prédio público

13 janeiro 2014 - 16h55
Alegando caos na saúde nas aldeias, índios cobraram, nesta segunda-feira (13), autonomia administrativa e financeira da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) e ameaçam voltar a ocupar o prédio público se o governo não atendê-los.
 
 Em outubro no ano passado, eles ficaram 21 dias no local e a invasão resultou no pedido de exoneração do então chefe da pasta, Nelson Olazar.
 
Presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena de Mato Grosso do Sul, Fernando Souza alega que o setor está em “situação de abandono nas aldeias”.
 
“Em vez de ajudar, o governo está desorganizando, falta medicação, estrutura e nem transporte temos para casos de emergência”, informou.
 
Segundo ele, em 2013, o Governo Federal repassou ao Estado R$ 55 milhões para investir na saúde indígena.
 
O conselho defende debate para redistribuir os recursos. “Por causa das nossas reclamações, até demitiram uma servidora da Sesai, que era nossa parceira”, comentou Souza. “Isso é retaliação”, acrescentou.
 
Com o intuito de chamar a atenção para o problema, hoje, cerca de 30 indígenas se reuniram no Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena).
 
Da reunião, sairá uma carta que será encaminhada à Secretaria Nacional de Saúde Indígena, ao Ministério da Saúde e à presidente Dilma Rousseff (PT).
 
“No dia 20 de dezembro, fizemos uma reunião, elaboramos uma carta à Secretaria Nacional de Saúde Indígena, mas, até agora, nada mudou.
 
Dependendo da resposta desta nova carta, o movimento pode invadir o prédio da Sesai”, avisou Fernando Souza.
 
De acordo com ele, o problema de saúde nas aldeias é realidade em todo o país. “Não é só aqui esta situação de abandono, pelos menos 16 outras manifestações já ocorreram Brasil afora, isso representa queixas em 50% do território nacional”, concluiu.
Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE
TJ MS