03 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Infraestrutura

Governo federal anuncia concessão de quatro rodovias

31 janeiro 2014 - 16h00
O governo federal anunciou nesta sexta-feira a concessão de mais quatros lotes de rodovias e a renovação da concessão da ponte Rio-Niterói, que vence em maio de 2015. O investimento previsto pelo governo nas novas concessões soma R$ 17,8 bilhões de reais.
 
O trecho da ponte a ser leiloado vai do acesso à ponte Presidente Costa e Silva (Rio-Niterói) ao entroncamento com a RJ-071 (Linha Vermelha). Segundo o ministro dos Transportes, César Borges, o novo modelo vai reduzir o valor da tarifa na ponte. O governo planeja fazer a licitação ainda neste ano. O atual concessionário da ponte é a CCR, que poderá entrar na disputa. 
 
Entre os lotes das rodovias a serem licitados estão trecho da BR-163, com ligação com a BR-230, entre o Mato Grosso e o Pará; a BR-364 em continuação com a BR-060, conectando o Mato Grosso a Goiás, entre Rondonópolis e Goiânia; a BR-364, que liga Jataí (GO) a Minas Gerais; e a BR-476, conectada com as BRs 153, 282, 480, passando pelo Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
 
Os leilões de rodovias são parte do plano do governo de melhorar a infraestrutura logística do Brasil, um dos principais entraves para o crescimento econômico. A iniciativa também inclui a concessão de aeroportos, ferrovias e portos. No ano passado, foram feitos cinco leilões de rodovias.
 
O anúncio foi feito durante cerimônia no Palácio do Planalto em que a presidente Dilma Rousseff assinou o contrato de concessão das BRs-060, 153 e 262, que cortam o Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais com a empresa Triunfo Participações e Investimentos, que arrematou os lotes em leilão no ano passado.
 
Dilma defendeu o modelo estabelecido com o setor privado e argumentou que as concessões preveem investimentos em melhorias e duplicações.
 
"A grande vantagem é que esse modelo não é de manutenção de estradas. (…) Uma característica é o fato de que durante o período sem trecho construído, não tem cobrança, mas assim que tem 10%, começa a cobrar pedágio. (…) É um processo muito importante para que a gente eleve a produtividade da economia brasileira", afirmou.
 
De acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Triunfo terá que investir R$ 7,15 bilhões ao longo de 30 anos.
Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE