29 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Campanha Bonito Seguro - Fase 2
Legislativo Estadual

Governador assina liberação de recursos para Pontos de Cultura

16 dezembro 2009 - 13h54
Fort  Atacadista - 21 ANOS

  Com o violino apoiado no queixo, oito crianças da Orquestra Infantil Viver Bem apresentaram “Asa Branca” e “Além do Arco-íris”, sob a batuta do maestro Eduardo Martinelli e acompanhamento do músico Jardel Filho, na cerimônia de hoje no anfiteatro da Governadoria que marcou a primeira etapa de orientação para as instituições selecionadas na Rede de Pontos de Cultura de MS.

   Eles receberão hoje, a partir das 14h, orientações técnicas, no Museu de Arqueologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

  “É muito feliz poder compartilhar esse investimento que vem do Governo Federal para que as manifestações culturais que vêm ocorrendo no Estado possam se fortalecer”, comentou o presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Américo Calheiros.

  Iniciativas culturais desenvolvidas pela sociedade civil e selecionadas dentro de edital do Ministério da Cultura para um desenvolvimento de gestão compartilhada, os Pontos de Cultura de Mato Grosso do Sul receberão recursos da ordem de R$ 5.400 milhão para desenvolvimento de seu trabalho durante três anos.

  Parte desse recurso é oriunda do Ministério da Cultura/Secretaria de Cidadania Cultural, que, através da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, destinou recursos da ordem de R$ 3.600 milhões para a implantação de 30 Pontos de Cultura no Estado. O Governo do Estado, em contrapartida, libera R$ 1.800 milhão, o que corresponde a R$ 1,00 a cada R$ 2,00 liberados pelo Minc. Cada Ponto de Cultura selecionado irá receber R$ 180 mil, divididos em três parcelas de R$ 60 mil reais.

  “Apoiamos o projeto desde seu início, quando o Estado estava passando por dificuldades, e agora ficamos muitos felizes em ver seu desenvolvimento”, falou o governador André Puccinelli.

Pontos selecionados

  Em MS, ligados à Fundação de Cultura, já foram selecionados 26 pontos: Ponto de Cultura Movimento de Arte e Cultura de Itaporã, da Comunidade Porciuncula de Itaporã; Ponto de Cultura Casa do Pensamento Indígena Ovoku Issoneu Kopenoti, da Fundação Biótica; Ponto de Cultura Amina, da Associação de Mulheres Independentes na Ativa; Ponto de Cultura Macule lê, Associação Capoeira Camará; Dança Dourados, da Associação para a Democratização Popular; Viver Bem, do Grupo de Incentivo a Cidadania e Qualidade de Vida Viver Bem; Centro de Memória Cultural do Alto Taquari, do Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia do Rio Taquari; Expressão pela Vida, do Congresso Nacional Afro Brasileiro; Música Sem Fronteiras, da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais; Centro de Tradições Pantaneiras, da Comunidade Kolping Frei Tomas; Novo Olhar, do Instituto Sul Mato-grossense Para Cegos Florivaldo Vargas; Quero Quero Mais Cultura, do Centro de Tradições Gaúchas Chama Crioula; Arte e Gastronomia Moinho Cultural Sul Americano, do Instituto Homem Pantaneiro; A Arte Unindo o Campo e a Cidade, do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Itaquiraí e Região; Anima Bonito, da Associação Amigos Brazil Bonito; Reviva a Cultura, do Sindicato Rural de Rio Negro; Montana, da Associação das Mulheres Rurais do P.A Montana Bataguassu – MS; Ponto de Cultura da Colônia Paraguaia, da Associação Colônia Paraguaia MS; Curumins na Mata, da Curumins Cia. Teatral; Projeto Enter de Inclusão Digital, do Instituto Samaritano Políticas Públicas Albert Schwwitzer; Afrodite-se em Ponto, Teatral Grupo de Risco; Bolicho Faz Cultura, Associação de Apoio a Cultura Cidadania e Meio Ambiente; Cia. das Artes Ponto de Cultura MS, da Cia. das Artes; Abaeté, da Associação Submarino Amarelo; Saborearte Regional do Buriti, da Associação de Trabalhadores Rurais da Região Leste de MS e Palco de Experiências, da Casa de Ensaio, este último aprovado em 2008, no primeiro edital lançado pela Fundação de Cultura.

 

“A aprovação do projeto vai possibilitar o acesso dos alunos da rede pública à dança e ao teatro de qualidade, com estrutura privilegiada, muitas vezes só presente para os alunos que podem pagar as academias”, comentou Blanche Torres, coordenadora do Dançar Dourados, projeto do Instituto Pulsar (Associação para a Democratização Popular), que vai oferecer aulas de dança e teatro para alunos de escolas públicas. 

 

Para selecionar esses Pontos de Cultura, já foram lançados dois editais. Com o objetivo de completar os 30 Pontos ligados à Fundação de Cultura a que Mato Grosso do Sul tem direito, um terceiro edital será lançado em breve para seleção de quatro pontos restantes.

Banner Whatsapp Desktop
PMCG
AL MS