23 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
INDÚSTRIA

Fiems divulga Indústria Sem Fronteira durante a Expo Paraguay

Objetivo é fomentar e atrair empreendimentos e investimentos para as cidades fronteiriças do Estado por meio da divulgação e orientações aos empresários de todo o Brasil

20 julho 2017 - 10h10Da Redação
Ao longo da quarta-feira, a gerente do CIN da Fiems, Fernanda Barbeta, participou de rodada de negócios entre empresários dos dois países
Ao longo da quarta-feira, a gerente do CIN da Fiems, Fernanda Barbeta, participou de rodada de negócios entre empresários dos dois países - Divulgação

Em continuidade à agenda em Assunção, capital do Paraguai, a equipe do CIN (Centro Internacional de Negócios) da Fiems aproveitou a quarta-feira (19) para divulgar o Indústria Sem Fronteiras junto aos empresários paraguaios e brasileiros que estão participando da 34ª Expo Paraguay. Lançado em março deste ano pela Fiems com o objetivo de fomentar e atrair empreendimentos e investimentos para as cidades fronteiriças do Estado por meio da divulgação e orientações aos empresários de todo o Brasil sobre as vantagens competitivas obtidas ao instalar uma empresa na região, o Projeto já despertou o interesse de 27 empresas de seis Estados.

Ao longo da quarta-feira, a gerente do CIN da Fiems, Fernanda Barbeta, participou de rodada de negócios entre empresários dos dois países e reuniu-se com o diretor de promoção de investimentos da Rede de Investimentos e Exportações do Paraguai (Rediex), Carlos Paredes Astigarraga. “Também aproveitei a realização da Feira para conversar com a DGE (Dirección General de Empleo), órgão do Governo do Paraguai que auxilia as empresas com recrutamento de mão de obra no país vizinho”, informou.

Segundo Fernanda Barbeta, foi um dia muito produtivo para a divulgação do projeto Indústria Sem Fronteiras, bem como para o levantamento de informações que podem auxiliar os empresários brasileiros com interesse de instalar algum empreendimento na região da faixa de fronteira seca entre o Brasil e o Paraguai. “Acredito que vamos ter condições de produzir um bom material para entregar aos empresários que forem buscar informações junto ao CIN da Fiems”, declarou.

Visitas

Na terça-feira (18/07), a equipe do CIN da Fiems visitou vários órgãos governamentais e entidades empresariais paraguaias localizadas na cidade de Assunção para coletar mais informações relevantes para facilitar a implantação de empresas brasileiras na fronteira no âmbito do projeto Indústria Sem Fronteiras. Fernanda Barbeta esteve na sede do Sistema Unificado de Apertura y Cierre de Empresas (Suace), no Consejo Nacional de Industrias Maquiladoras de Exportación (Cnime), na Vue (Ventanilla Única de Exportación) e na UIP (Union Industrial Paraguaya).

No Suace, Fernanda Barbeta tratou com a diretora-geral do órgão, Margarita Peña Concha, sobre alternativas para facilitar a implantação de empresas brasileiras na fronteira do Paraguai com o Brasil no âmbito do projeto Indústria Sem Fronteiras e os requisitos exigidos para empresas do segmento de alimentos e bebidas. “Nos comprometemos em traduzir um material detalhado do Suace, pois, da mesma maneira que a Fiems elaborou um guia do Indústria Sem Fronteiras, o órgão elaborou um material que contém o passo a passo, os requisitos e a documentação que as empresas precisam providenciar para se instalar no país. A diretora-geral ofereceu o material para que nós façamos a tradução e possamos disponibiliza-lo aos nossos clientes”, explicou.

De acordo com Margarita Peña, um número considerável de empresas brasileiras procura o órgão em busca de informações. “Por isso, solicitei à gerente do CIN da Fiems que nos envie uma cópia do material traduzido para que também tenhamos a versão em português diante da solicitação de empresas brasileiras. É uma parceria de mão dupla”, comentou.

No Cnime, Fernanda Barbeta encontrou-se com a diretora-técnica de verificação e controle Laura Felicia Villalba Aguilar para tratar sobre a Lei de Maquila – regime paraguaio que permite a uma empresa se instalar no país para se industrializar seus produtos e depois exportá-los, pagando imposto único de 1% sobre o valor agregado. “Ela nos explicou que a obtenção do regime da Lei de Maquila demora quatro meses, em média, porque precisa passar primeiro pela aprovação do Cnime, que se reúne uma vez por mês, e depois tem de ser assinada uma resolução biministerial”, detalhou.

Já no Vue, que é o órgão paraguaio responsável por licença de exportação, a gerente do CIN da Fiems falou com o diretor-geral Celso Alejandro Bareiro Recalde, que explicou como a empresa é atendida, quanto tempo demora e outros detalhes relevantes. “Também aproveitamos para conhecer um cartório do Paraguai para simular uma abertura de empresa no país vizinho, uma prática muito requisitada pelos nossos clientes no Estado”, informou.

A última agenda de Fernanda Barbeta na capital do Paraguai foi uma reunião na UIP (Union Industrial Paraguaya) para estreitar as relações. “No local, conversei com o gerente Rolando Cardozo Torres, que me explicou como é feita a emissão do certificado de origem no Paraguai. Além disso, conversamos sobre a possibilidade da realização de ação em conjunto para levar empresários paraguaios para Mato Grosso do Sul”, disse..

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS INTERNO

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia o retorno do ensino presencial em escolas públicas ainda no ano de 2020?

Votar
Resultados
GAL COSTA
pmcg ms
TJ MS