27 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
senar curso
atingir

Depois de atingir maior marca desde maio, taxa de contágio desacelera no Brasil

Dados do Imperial College, do Reino Unido, apontam que 100 pessoas infectadas contaminam outras 102. Na semana passada, taxa era de 1,30

1 dezembro 2020 - 17h05
Conforme contagem da Universidade Johns Hopkins, o Brasil é o segundo país com mais mortes por covid-19 no mundo
Conforme contagem da Universidade Johns Hopkins, o Brasil é o segundo país com mais mortes por covid-19 no mundo - ( Foto: Estadão/Reuters/Amanda Perobelli )
MÊS DA ECONOMIA COMPER

Depois de alcançar a marca de 1,30, a maior desde o fim de maio, a taxa de transmissão (Rt) do novo coronavírus no Brasil caiu para 1,02. Os dados são do centro de controle de epidemias do Imperial College de Londres, no Reino Unido. A atualização foi divulgada nesta terça-feira, 1º, com dados coletados até a segunda-feira, 30.

A taxa de contágio traduz o potencial de propagação de um vírus. Quando ele é superior a 1, a doença está avançando. Hoje, o dado indica que 100 pessoas infectadas no País transmitem o vírus para outras 102. Pela margem de erro das estatísticas, essa taxa pode ser maior (1,11) ou menor (0,94).

A taxa de 1,02 representa uma leve desaceleração em relação à semana passada. Sete dias atrás, ela bateu a marca de 1,30, a maior desde maio. Há três semanas, o número ficou em 0,68, o menor valor desde abril. A data coincide com o atraso na atualização de casos e mortes por covid-19 pelo Ministério da Saúde. Problemas técnicos atrasaram o registro de informações. A pasta reconheceu na sexta-feira, 13, indícios de um ataque cibernético em seu sistema, mas ainda não há laudo conclusivo.

Na segunda-feira, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou que o Brasil precisa levar o aumento no número de casos de covid-19 a sério. "O Brasil teve seu ápice em julho. O número de casos estava diminuindo, mas em novembro os números voltaram a subir. O Brasil precisa levar muito, muito a sério esses números. É muito, muito preocupante", disse Tedros.

A média móvel diária de mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil ficou em 518 nesta segunda-feira, 30. Esse tipo de média considera os dados dos últimos sete dias e evita distorções provocadas pelas variações diárias dos registros. Nas últimas 24 horas, foram registrados mais 22.622 casos e 317 mortes, segundo levantamento feito por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de saúde.

No total, o Brasil registrou 6.336.278 casos confirmados de covid-19 e 173.165 mortes. Conforme dados do Ministério da Saúde, 5.601.804 brasileiros se recuperaram da doença e outros 560.954 seguem em acompanhamento.

Banner Whatsapp Desktop
Senar
TJ MS