29 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Campanha Bonito Seguro - Fase 2
Saúde Bucal

Conheça as causas do insuportável mau hálito

Divulgação
Fort  Atacadista - 21 ANOS

Muitas pessoas tem mau hálito e não sabem disso. O mau hálito constante pode fazer com que essas pessoas não percebam o próprio hálito. Em contrapartida, pessoas com períodos de halitose e períodos de normalidade conseguem percebê-lo.

O mau hálito da manhã é considerado fisiológico. Ele acontece devido à leve hipoglicernia, à redução do fluxo salivar para virtualmente zero durante o sono e ao aumento da flora bacteriana. Após a higiene dos dentes, da língua e após a primeira refeição a halitose matinal deve desaparecer. Caso isso não aconteça, podemos considerar que o indivíduo tem mau hálito e que este precisa ser investigado e tratado.

Para identificar a presença do mau hálito, peça a um familiar ou a um amigo de confiança que faça essa avaliação para você. Caso sinta se constrangido a pedir a alguém que o avalie, procure um cirurgião dentista para que este possa ajudá-lo no diagnóstico e no tratamento da halitose. Atualmente é possível medir o mau hálito. Um aparelho chamado Halimeter@, capaz de medir compostos sulfurados voláteis serve para orientar quanto à gravidade da halitose e quanto à melhora e à cura durante o tratamento.

A causa do mau hálito, não pode ser explicada por um único mecanismo. Existem razões fisiológicas (que requerem apenas orientação); razões patológicas (que requerem tratamento); razões locais (feridas cirúrgicas, cárie, doença periodontal etc.) ou sistêmicas (diabetes, uremia, prisão de ventre etc.). Apesar disso, 96% ou mais dos casos de halitose se devem à presença de saburra lingual e, assim, devem ser tratados.

O mau hálito não é contagioso e a saburra somente se forma em pessoas com predisposição à sua formação. Por esta razão, é muito comum casais em que apenas um dos parceiros apresenta hálito muito desagradável.

Banner Whatsapp Desktop
ALMS
PMCG