19 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Segurança

Centro de atendimento da Mulher Vítima de Violência: acolhimento a quem precisa

6 agosto 2009 - 16h53
Fort  Atacadista - 21 ANOS

O centro de referência é ligado à Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Mulher, com o apoio da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas).

  Segundo a coordenadora do centro, Luiza Helena Al-Contar, o local disponibiliza atendimento principalmente aquelas que já passaram pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DAM). Somente no mês de julho, o centro atendeu 526 pessoas; destes, 52 são novos casos. Balanço de atendimentos realizados de janeiro até julho mostra que foram atendidos 3.577 casos neste ano, e 477 são de pessoas que procuraram o centro pela primeira vez.

  No Centro de Atendimento, a mulher recebe um acolhimento especializado que a encaminha para consultas com assistentes sociais, psicólogos ou defensores públicos. Todas as manhãs o atendimento da Vara de Violência Contra a Mulher funciona no centro de referência. O local trabalha alinhado com a Casa Abrigo, que recebe as mulheres vítimas de violência e atende com uma equipe formada por pedagogas, assistentes sociais e profissionais da psicologia.

  “Oferecemos no centro todo o apoio jurídico necessário para a mulher vítima de violência. Porém, para processar o agressor é preciso que seja feita a denúncia, precisamos de um fato gerador. Mesmo assim, se a mulher opta por não denunciar e receber apoio para o procedimento cível, como separação e guarda dos filhos, nós fazemos este atendimento também. Procuramos sanar todas as necessidades daquele momento, dando suporte para que a mulher que nos procura deixe de ser uma vítima de violência”, afirma Luiza Helena.

  Sobre a Lei Maria da Penha, que completa três anos nesta sexta-feira (7), a coordenadora do centro diz que é um mecanismo que veio auxiliar muito nos casos de violência contra a mulher, uma vez que as ocorrências eram encaminhadas para juizados de pequenas causas e a denúncia acabava até por agravar a situação de violência.

  O Centro de Atendimento à Mulher Vítima de Violência existe desde novembro de 1999 e funciona na rua General Nepomuceno Costa, 593, Vila Alba, em Campo Grande.

Banner Whatsapp Desktop
ALMS
PMCG