27 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
senar
ACIDENTE

Casa pega fogo com criança dentro enquanto babá limpava a calçada

Após controlarem as chamas e fazerem um rescaldo para evitar que o fogo voltasse, eles identificaram que o superaquecimento na geladeira provocou o incidente, que destruiu parte da cozinha da casa

2 junho 2017 - 12h40Com informações do G1
Assim que viu o fogo, babá retirou a criança do imóvel
Assim que viu o fogo, babá retirou a criança do imóvel - Divulgação
MÊS DA ECONOMIA COMPER

Uma família do bairro Tiradentes, em Campo Grande, passou por um grande susto na manhã desta sexta-feira (2). Enquanto uma criança de 2 anos dormia em um colchão na sala, um superaquecimento no transformador da geladeira provocou um princípio de incêndio. A babá, uma vizinha de 59 anos contratada pelos pais para cuidar do menino, estava fora do imóvel, varrendo a calçada quando o fogo começou, mas assim que viu a fumaça e as chamas entrou no local e retirou a criança, que não se feriu, do imóvel.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o princípio de incêndio começou por volta das 9h (de MS). Duas equipes foram acionadas, mas quando chegaram ao local, além da criança já estar fora da casa, vizinhos tentavam apagar as chamas com uma mangueira. Após controlarem as chamas e fazerem um rescaldo para evitar que o fogo voltasse, eles identificaram que o superaquecimento na geladeira provocou o incidente, que destruiu parte da cozinha da casa.

O tenente Eduardo Tracz, do Corpo de Bombeiros, disse que como a informação inicial quando a unidade foi acionada era de que a criança estivesse sozinha no imóvel quando o fogo começou, a Polícia Militar (PM) foi acionada.

A PM encaminhou a criança, o pai, que chegou ao local após ser informado do incêndio, e a babá até a delegacia da região, a 4º DP. O pai e babá prestaram esclarecimentos ao delegado de plantão, que entendeu que não se configurou abandono de incapaz, e foram liberados.

A babá, Marma Aparecida Queiroz, falou pouco antes de conversar com o delegado. Ela disse que há quatro meses foi contratada pelos pais da criança e negou que o menino estivesse sozinho no imóvel. “Eu estava varrendo a frente da casa e assim que o fogo começou eu tirei ele de lá. Não estava sozinho”, disse.

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS
Senar