05 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Segurança

Ações no Estado reduzem em 80% entrada de drogas no País

7 março 2014 - 07h35
Cassems
Com números positivos o governo de Mato Grosso do Sul continua investindo nas ações para tornar a faixa fronteira ainda mais segura. Não somente a entrada de entorpecentes no País diminuiu ao longo dos últimos anos, por conta do bloqueio feito pelas forças de segurança na região da fronteira, como o contrabando.
 
Ontem, o governador André Puccinelli (PMDB) acompanhado da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, entregou mais 78 novas viaturas para atender as polícias civil, militar e militar rodoviária de 22 municípios, somando R$ 20 milhões em investimentos que visam coibir os delitos transfronteiriços. “A parceira de todos [Estado, União e municípios] tem feito bloqueio nas fronteiras. As estatísticas mostram que 80% das drogas que vem para o Brasil são obstadas em Mato Grosso do Sul”, disse.
 
Segundo Puccinelli, em quase oito anos serão entregues à segurança pública 1.445 veículos, a maioria deles adquiridos com recursos estaduais que somados aos recursos do governo federal têm proporcionado ainda a aquisição de armamento, munição e equipamentos para aparelhar todos os municípios e distritos de Mato Grosso do Sul.
 
Os 44 municípios que fazem fronteira com a Bolívia e o Paraguai ainda irão receber mais 170 viaturas que já estão em processo licitatório. “Todos os municípios serão contemplados. Nos próximos cinco meses vamos renovar mais 30% da nossa frota. Todos os municípios terão mais viaturas, mais armamento e mais pessoal”, lembrou o governador confirmando a prioridade da tríade de investimentos do governo do Estado em segurança pública, educação e saúde.
 
Ação exemplar
 
As ações do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira (GGI-F) inseridas na Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron) em Mato Grosso do Sul são tidas como exemplos para outras unidades da federação, conforme a secretária Nacional Regina Miki. “Temos aqui a integração perfeita entre os agentes de polícia, fiscalização e as forças armadas. Isso tem tornado a fronteira menos vulnerável e tem trazido um benefício imenso para o restante do País. Aquilo que é bloqueado aqui não chega para o restante do País, inclusive para estados que se quer têm fronteira”, elogiou Miki.  
 
Para o secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, as ações desenvolvidas pela segurança pública são respostas que o governo do Estado e o governo federal vêm dando aos anseios da sociedade.
 
Somente para o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) foram destinadas 23 das 78 viaturas, um reconhecimento e uma forma de recompensar o trabalho que o departamento tem executado na faixa de fronteira segundo o coronel Edilson Osnei Nazareth Duarte. “A renovação da frota possibilita a melhoria da prestação de serviços a comunidade através da intensificação do patrulhamento itinerante ao longo das duas fronteiras com a Bolívia e o Paraguai”, reforçou o diretor do DOF.
 
Duarte lembra ainda que as novas viaturas trarão mais agilidade no deslocamento dos policiais no atendimento das ocorrências, bem como o alcance de outras localidades mais distantes da sede do DOF. “O governo do Estado tem se mostrado um grande parceiro e uma preocupação com o policiamento na fronteira. Na primeira etapa do Enafron recebemos armamento e munição e agora nesta etapa, tivemos renovada a nossa frota de viatura, além de podermos capacitar e treinar todo o efetivo do Departamento de Operações de Fronteira”, contabilizou Duarte.
 
Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto David dos Santos, a presença ostensiva das forças policias de MS na região de fronteira tem impedido a entrada de drogas e contrabando de armas que dão origem diversos crimes. “Por muito tempo o governo do Estado tem coibido a criminalidade na faixa de fronteira e agora a União entendeu a necessidade de atuar neste espaço e através do Enafron tem criado uma presença mais efetiva, criando assim um ambiente mais seguro. Na primeira fase tivemos um atendimento mais constante na faixa de fronteira e com esta segunda fase vamos reduzir ainda mais os crimes na região”, avaliou o coronel David.
 
O diretor-geral da Polícia Civil, Jorge Hasanauskas Neto, lembrou que o Estado foi o primeiro a desenvolver ações do Enafron na faixa de fronteira e ainda ressaltou que ao findar o convênio todas as cidades terão pelo menos uma viatura para atender as demandas da Polícia Civil, bem como equipamentos para todas as delegacias de Polícia Civil do interior.
 
Os equipamentos foram adquiridos com recursos do Ministério da Justiça, através da etapa II do Programa Estratégia Nacional de Fronteiras – Enafron, da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e também do Governo do Estado, via Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública.
Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE