21 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Esporte

Sem brilho, Seleção fecha ano com vitória sobre Omã

17 novembro 2009 - 15h38
Fort  Atacadista - 21 ANOS

  Com a vitória desta terça, a Seleção encerrou um ano praticamente perfeito: em 17 jogos, foram 14 vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Além disso, garantiu vaga na Copa-2010 e conquistou a Copa das Confederações. O Brasil volta a campo apenas no dia 3 de março de 2010, em amistoso contra adversário ainda não definido.

  O técnico Dunga aproveitou o amistoso para fazer vários testes. Ao todo, foram seis substituições na partida, com destaque para a estreia de Fábio Simplício e o retorno de Cris à Seleção.

  Omã surpreendeu ao entrar em campo com sua marcação adiantada, complicando a saída de bola do Brasil. Rápido, o time da casa teve a primeira boa chance da partida, logo aos dois minutos, em chute para fora de Al-Hosni.

  No entanto, foi o Brasil que abriu o placar. No minuto seguinte, Maicon deu pelo passe para Luis Fabiano, que chutou em cima do goleiro Al-Habsi. Nilmar aproveitou o rebote e marcou.

  Mesmo em vantagem no placar, a Seleção não conseguiu espaços para atacar. Presos na marcação, os laterais Maicon e Michel Bastos pouco apoiaram. Kaká atuou quase como volante, tentanto levar a bola da defesa ao ataque.

  Por outro lado, Omã assustou em jogadas de velocidade. Aos 25, Julio Cesar se recuperou bem após bola desviada e evitou o empate. Seis minutos depois, Al-Hosni por pouco não marcou de peixinho.

  No intervalo, Dunga fez três mudanças na equipe, dando chance a Fábio Simplício, Júlio Baptista e Hulk. A Seleção demorou a se acertar na nova formação, permitindo três boas chegadas de Omã nos primeiros minutos da etapa final.

  Logo o time se encaixou e voltou a ter o controle da partida. E ampliou aos 16: em uma de suas poucas jogadas ofensivas, Michel Bastos cruzou para a área e Al-Ghailani fez contra, em dividida com Hulk.

  Beneficiada pelas várias substituições do adversário, a Seleção teve mais tranquilidade na defesa e criou chances. Hulk, aos 36, teve a melhor delas, batendo para fora na saída do goleiro Al-Habsi.

Banner Whatsapp Desktop
AL MS
PMCG