29 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
ESPORTE

Rose Volante, Yamaguchi e Esquiva recolocam o boxe brasileiro em evidência

2 agosto 2018 - 06h45

O pugilista baiano Acelino Popó Freitas, tetracampeão mundial, teve seu auge no esporte há mais de uma década. Junto com o fim da carreira de Popó, o interesse do torcedor pelo boxe brasileiro também diminuiu. Mas a nobre arte nacional está de volta. Sinal disso é que os melhores atletas do País têm o talento reconhecido por campeões mundiais e pelos mais importantes meios de comunicação dos Estados Unidos e da Europa.

Rose Volante e os irmãos Esquiva Falcão e Yamaguchi Falcão são os responsáveis pelo ressurgimento do boxe nacional. Todas as suas lutas são transmitidas por canais esportivos por assinatura e seus resultados dentro dos ringues os colocam em condições de realizar grandes duelos nos maiores eventos pelo mundo.

"Quero todos os títulos mundiais. Para isso, preciso enfrentar e vencer a brasileira Rose Volanté", disse a irlandesa Katie Taylor, campeã mundial dos pesos leves pela Associação Mundial e Federação Internacional de Boxe. Rose é a dona do cinturão da Organização Mundial de Boxe. "Tivemos um primeiro contato, mas essa luta só nos interessa para o ano que vem", afirmou Felipe Moledas, técnico da pugilista brasileira, que defenderá o seu título pela segunda vez em setembro.

Rose tem 35 anos, é patrocinada pela Memorial e detém o cinturão desde dezembro do ano passado, quando venceu, por pontos, a argentina Brenda Carabajal, em luta disputada no país vizinho. A brasileira soma 13 vitórias, com sete nocautes, e está invicta.

EM FAMÍLIA - Os irmãos Falcão são patrocinados por empresas norte-americanas. Esquiva, de 28 anos, tem contrato com a Top Rank, do conhecido empresário Bob Arum. Ele venceu pela 21.ª vez como lutador profissional no sábado passado, com nocaute no primeiro assalto, e tem a promessa dos organizadores de um combate com o japonês Ryota Murata, campeão pela Associação Mundial de Boxe. A luta deve ser marcada para o primeiro trimestre de 2019.

Esquiva e Murata disputaram a final olímpica em Londres-2012 e o oriental ficou com a medalha de ouro, após uma decisão por pontos e muito discutida - há quem diga que o brasileiro foi o vencedor. Ele não tem derrota no cartel e está em nono lugar no ranking da AMB.

Yamaguchi, bronze na Olimpíada de Londres, também é peso médio e ocupa o nono lugar, mas do Conselho Mundial de Boxe. Com contrato com a Golden Boy Promotions, de Oscar De La Hoya, fez sua última luta no dia 21, quando venceu o mexicano Elias Espadas, por pontos. Com mais uma vitória diante de um rival ranqueado, a chance de disputar o título mundial cada vez se torna mais real. Yamaguchi teve o duelo com o ex-campeão Demetrius Andrade cancelado, pois o boxeador norte-americano rompeu contrato com seu empresário.

Mesmo sem apoio de patrocinadores nacionais e com poucos eventos organizados no País, o boxe sobrevive a mais uma "queda" e, no que depender desses três grandes representantes, está pronto para retornar a seus tempos de glória.

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS INTERNO

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já sabe em quem votar para prefeito de seu município?

Votar
Resultados
GAL COSTA
TJ MS
pmcg ms