05 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
F1

Rosberg alega falha no freio e culpa Hamilton por toque

Alemão liderava GP da Áustria, quando levou bote do companheiro de Mercedes na volta final

3 julho 2016 - 14h10Da redação com informações do G1
Ambos se tocaram, inglês venceu e Rosberg se arrastou até terminar em 4º
Ambos se tocaram, inglês venceu e Rosberg se arrastou até terminar em 4º - Divulgação
Cassems

O polêmico toque entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton, que decidiu o GP da Áustria em favor do britânico, aqueceu ainda mais a já exacerbada rivalidade entre os companheiros deMercedes. O alemão liderou boa parte da prova, mas viu o britânico dar o bote por fora na última volta e ambos acabarem se tocando. Nico, que quebrou a asa dianteira e se arrastou até os boxes, chegando em quarto, alegou ter espalhado por ter sofrido problemas nos freios e ainda jogou a culpa pelo incidente em Hamilton: 

- Absolutamente frustrado, com certeza. É inacreditável, tinha certeza que ganharia, e aí perco na última volta. Estávamos disputando posições e eu estava sofrendo um pouco com meus freios porque superaqueceram ao final. E meus pneus estava desgastados, o que deu chances ao Lewis. Ainda assim eu estava confiante de que venceria, e tinha a parte de dentro da curva, uma boa posição, mas acabei espalhando, o que é tranquilo, porque quem está por dentro dita o que vai acontecer. E aí fui surpreendido com o Lewis virando o carro e causando a colisão - disse Rosberg.

A direção de prova está investigando Nico Rosberg pelo incidente. Mas os torcedores presentes ao circuito austríaco, talvez pela maior identificação com a Alemanha, elegeram Hamilton como vilão e vaiaram o vencedor da prova durante a cerimônia de premiação. O inglês se exime de qualquer culpa pelo incidente:

- A disputa vai até a última volta. Estou aqui para vencer. Nico cometeu um erro na curva 1 e eu tive uma oportunidade na curva 2. Lá, ele bloqueou a linha de dentro e a única possibilidade que eu tinha era ir para o fora. Eu estava no traçado. Ele estava no meu ponto cedo, então eu levei em consideração de que ele continuaria ali, por isso continuei aberto. Eu dei muito espaço para ele. Quando comecei a fazer a curva, eu estava no limite da linha branca. Eu não tentei fechar em nenhum momento. Ele que bateu em mim. Talvez ele tenha tido problemas de freio. Definitivamente, eu não tive culpa ali - garantiu Hamilton.

Independentemente de quem foi a culpa, o novo incidente entre Hamilton e Rosberg levou a cúpula da Mercedes ao desespero. Cansado de tanta confusão entre seus pilotos, o chefe da equipe, Toto Wolff, não descarta usar ordens de equipe.

- Carros batendo parece um “déjà-vu” para nós.  Foi uma coisa acéfala. Ver ambos os carros quase batendo é decepcionante. Poderia, facilmente ser um duplo abandono. Se eles não entendem que não podem bater um no outro, talvez tenhamos que considerar dar ordens de equipe, ainda que não seja algo que o público goste - reclamou o dirigente.

O tricampeão mundial e diretor não-executivo da Mercedes, Niki Lauda, preferiu adotar a cautela: 

- Precisamos olhar nisso com muito cuidado, mas não foi divertido assistir. Suspeito que Nico tenha tido problemas nos freios, e por isso tenha espalhado e assim Lewis foi jogado para o lado de fora. Mas porque eles se tocaram, eu não entendi - disse ex-piloto austríaco.

No fim, o incidente foi bom para Hamilton. Caso não tivesse conseguido a ultrapassagem, a diferença para o líder Rosberg poderia ter aumentado para 31 pontos. Mas com o terceiro triunfo no ano, ele chegou a 142 pontos, e reduziu de 25 para 11 pontos a desvantagem para o alemão, que lidera com 153.

Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE