24 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
TCE - Devolução Auxílio Emergencial
SALDO POSITIVO

Índice de contratação nas indústrias de MS deve aumentar nos próximos seis meses

A pesquisa trouxe também que pelo quarto mês consecutivo e o indicador de evolução da produção da atividade industrial já acumula alta de 26,3 pontos, demostrando uma recuperada retração registrada no setor devido à pandemia mundial do coronavírus

22 setembro 2020 - 15h00Da Redação
Indústria alimentícia
Indústria alimentícia - (Foto: ANPr/ SINDIAVIPAR)
Fort  Atacadista - 21 ANOS

Mesmo com a pandemia em Mato Grosso do Sul, o índice de emprego nas indústrias do Estado deve subir nos próximos seis meses.

Conforme os dados divulgados hoje (22) do Radar Industrial da Fiems junto a 64 empresas no período de 1º a 14 de setembro deste ano,o índice atingiu 59,7 pontos, sinalizando que o número de admissões deve aumentar nos próximos seis meses a partir de setembro, sendo que, em relação ao mês anterior, o índice apresentou uma melhora de 2 pontos.

“Em setembro, 34,4% das empresas responderam que esperam aumentar o número de empregados nos próximos seis meses. Enquanto 3,1% apontou que esse número deve cair. Já as empresas que esperam manter o quadro de funcionários estável responderam por 62,5%”, afirmou coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende.

A pesquisa trouxe também que pelo quarto mês consecutivo e o indicador de evolução da produção da atividade industrial já acumula alta de 26,3 pontos, demostrando uma recuperada retração registrada no setor devido à pandemia mundial do coronavírus.

Em agosto 85% das empresas industriais do Estado apresentaram estabilidade ou aumento na produção - 44% das empresas com produção estável e 41% com crescimento, podendo afirmar que a produção industrial retornou ao mesmo patamar anterior à Covid-19.

“Comparando com o mesmo mês do ano passado, essa participação foi superior em cinco pontos percentuais. Com esse desempenho, o índice de evolução da produção fechou agosto de 2020 em 60,8 pontos, indicando crescimento de 10,7 pontos sobre igual mês do ano anterior e de 9,6 pontos sobre a média histórica obtida para o mês”, detalha.

Com relação ao índice de expectativa do empresário industrial, Ezequiel Resende explica que, em setembro deste ano, a demanda atingiu 64,5 pontos, sinalizando expectativa de aumento para os próximos seis meses a partir de setembro e, em relação ao mês anterior, o índice apresentou uma melhora de 1,7 ponto. 

“Em setembro, 57,9% das empresas responderam que esperam aumento na demanda por seus produtos nos próximos seis meses. Por outro lado, para o mesmo período, 4,7% preveem queda, enquanto as empresas que acreditam que o nível de demanda se manterá estável responderam por 37,5% do total”, destacou.

Já para 28,1% dos empresários não houve alteração nas condições atuais da economia brasileira, sendo que em relação à economia sul-mato-grossense esse percentual foi de 42,2% e, a respeito da própria empresa, o número ficou em 37,5%. Para 32,9% dos empresários as condições atuais da economia brasileira melhoraram, enquanto em relação à economia estadual esse percentual ficou em 23,4% e, no caso da própria empresa, o resultado foi de 37,5%. “Os que não fizeram qualquer tipo de avaliação das condições atuais da economia brasileira, estadual e do desempenho da própria empresa responderam igualmente 1,6%”, ressaltou.

Em relação à economia estadual, o resultado ficou em 60,9% e, no caso da própria empresa, 65,7% dos respondentes confiam numa melhora do desempenho apresentado. “Os que não fizeram qualquer tipo de avaliação das expectativas em relação à economia brasileira, estadual e do desempenho da própria empresa responderam igualmente por 1,6%”, finalizou Ezequiel Resende.

Banner Whatsapp Desktop
Annelies
TCE - Devolução Auxílio Emergencial