25 de novembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
multicasas novo
ECONOMIA

IBGE: peso de alguns itens do IPCA pode mudar após nova POF

6 junho 2017 - 15h01
Fort Atacadista Natal

O presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Roberto Olinto, afirmou que a nova Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) vai atualizar os padrões de consumo das famílias brasileiras, influenciando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A declaração foi dada em coletiva com jornalistas na sede do IBGE em São Paulo nesta terça-feira, 6.

Olinto explicou que, depois da POF, alguns itens do IPCA podem perder peso, enquanto outros podem ganhar mais relevância. O levantamento com as famílias vai começar ainda este mês e dura um ano. Ele não adiantou mais informações sobre a nova POF, que deverão ser divulgadas em coletiva específica sobre o assunto.

Outro levantamento que será iniciado este ano é o Censo Agropecuário, que será inteiramente digital. A coleta terá início em outubro e pode durar cinco meses.

Olinto adiantou ainda que haverá atualização na Pesquisa Industrial Mensal (PIM), nos moldes da que ocorreu nos levantamentos de varejo e de serviços, no segundo semestre. Ele, porém, não deu mais detalhes.

Essas atualizações estão em linha, segundo o novo presidente do IBGE, com a sua estratégia de gestão. "A ideia principal da minha gestão é modernizar processos de produção de pesquisa."

Olinto afirmou que quer propor uma integração com outros institutos de estatística com o objetivo de integrar informações e aumentar a eficiência, como já ocorre em outros países. "A diretriz pode mudar, mas a lógica do IBGE não muda. Ela é pautada pelo padrão de agilidade, que sempre foi a linha do instituto", diz ao comentar a transição com o ex-presidente Paulo Rabello.

"Como presidente, nunca vou me posicionar sobre nada que não seja missão do IBGE", acrescentou, referindo-se à possibilidade de o IBGE fazer comentários qualitativos sobre os dados divulgados.

Alvo de muitas perguntas sobre as atualizações nas pesquisas de varejo e serviços realizadas no início deste ano, o presidente do IBGE destacou, assim como o instituto já vinha se pronunciando, que algumas críticas feitas à atualização das pesquisas de varejo e de serviços são "levianas". "Criou-se uma discussão exagerada sobre as mudanças, que foram feitas visando a melhoria das pesquisas."

Segundo ele, em indireta referência às críticas em relação ao momento das revisões, a lógica das atualizações estatísticas é divulgá-las assim que os dados estejam em mãos para melhor informar a sociedade, independentemente se o anúncio será feito em um momento de crise ou não. "Não guardamos dados, isso seria antiético", finalizou.

Banner Whatsapp Desktop
Comper sem sair de casa

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você pretende comprar na Black Friday?

Votar
Resultados
Comper sem sair de casa
Departamento de Operações de Fronteira - Disque Denúncia