05 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Funcionários organizam protesto

Funcionários organizam protesto contra reestruturação do Banco do Brasil em agência da Capital

A abertura da agência do Parque dos Poderes vai ser retardada, das 8h para as 10h

15 janeiro 2021 - 09h00Da Redação
Protesto BB
Protesto BB - (Foto: Divulgação)
Cassems

Nesta sexta-feira, os diretores do Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS e Região (Sindicário) estão realizando um protesto contra a reestruturação do Banco do Brasil. A abertura da agência do Parque dos Poderes vai ser retardada, das 8h para as 10h.

Conforme a nota publicada no site do Sindicário, nada justificaria o desmonte do Banco do Brasil, “Uma instituição sólida e que, de 2016 a 2019, registrou crescimento, em termos nominais, de 122% no lucro líquido. No mesmo período, a receita de tarifas aumentou 22%, também em termos nominais. Enquanto isso, a direção do banco reduziu o quadro de funcionários cada vez mais”, declarou em nota. 

Para o diretor do Sindicato dos Bancários, Rubens Jorge Alencar, a medida vinda do plano de reestruturação que prevê o fechamento de agências e outras unidades, foi unilateral. “Hoje é um dia nacional de luta! Temos que causar impacto, já estamos todos de preto. Não são só os bancários a serem afetados, estamos em tempo de pandemia, poucas agências e funcionários significam maiores filas”, afirma.

As manifestações estão sendo organizadas pela Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), federações e sindicatos.

No dia 11 de janeiro, a direção do Banco do Brasil anunciou um plano de reestruturação que prevê o fechamento de agências e outras unidades, além de um Plano de Demissão Voluntária (PDV) que tem por meta dispensar 5 mil trabalhadores do banco, entre outras medidas consideradas muito ruins.

“Essa será a primeira atividade de uma campanha contra essa reestruturação. Em cada sindicato haverá, nos próximos dias, plenárias de funcionários do banco para discutir formas de combater esse ataque ao BB e a seus trabalhadores. Vamos criar um calendário de lutas para impedir essas medidas. Convocamos os funcionários do banco a reagirem a essa arbitrariedade da direção do banco”, afirmou João Fukunaga, coordenador nacional da CEBB.

Cerca de 1.091 bancários do Banco do Brasil que estão na base do SEEB CG-MS poderão ser atingidos pelas mudanças.

**Matéria atualizada as 10 h para acréscimo de informações

Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE