19 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Economia

Comércio de Três Lagoas precisa de 300 profissionais

Divulgação
Fort  Atacadista - 21 ANOS

Comerciários estão migrando para as indústrias. Até aposentados estão sendo recrutados para suprir a lacuna. A preocupação é maior agora, com o aumento das vendas de final de ano. O comércio de Três Lagoas está em crise com a falta de mão-de-obra. O setor, que precisa de pelo menos 300 novos profissionais, vinha sofrendo com a perda de funcionários que passaram a migrar para as indústrias instaladas na cidade. Agora, o problema se agrava com a chegada do fim do ano quando as vendas aumentam em função do período natalino que promete aquecer todos os segmentos do comércio a partir deste final de mês. O apelo é do presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Três Lagoas, Eurídes Silveira de Freitas. Ele disse que esse número é necessário para suprir a demanda de hoje. “Porque se houver novas migrações, necessitaremos de um número maior de comerciários”, informa.
Eurides Silveira está em Campo Grande. Ele trouxe o problema para a diretoria da Federação dos Trabalhadores no Comércio de MS - FETRACOM/MS, da qual faz parte. Agora pela manhã eles estão reunidos para discutir esse e outros assuntos na sede da federação. O presidente da entidade, Idelmar da Mota Lima promete ajudar a reverter esse processo.
Eurides Silveira informou também que uma forma encontrada pelos comerciantes da cidade para suprir a falta de mão-de-obra foi contratar aposentados. Porém, a maioria segundo ele, não tem qualificação para atuar no setor. “Antes tínhamos filas enormes de pessoas lutando por uma vaga no comércio. Hoje, a situação se reverteu e mesmo anunciando nas igrejas, nas missas de domingo, não temos conseguido pessoal suficiente para suprir a demanda que o comércio exige, ainda mais agora, prestes a entrar no bom período de vendas de final de ano”, comentou Eurides.

Banner Whatsapp Desktop
Annelies
PMCG