24 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
ECONOMIA

Bolsas europeias fecham na maioria em queda, mas libra fraca apoia Londres

26 maio 2017 - 14h17

As bolsas europeias fecharam na maioria em baixa nesta sexta-feira, 26, em dia de menor apetite por risco em geral nas praças do continente e com os bancos em queda. A exceção foi Londres, que registrou alta diante do enfraquecimento da libra, movimento benéfico para as exportadoras do Reino Unido.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,21% (-0,84 pontos), em 391,30 pontos. Na semana, o índice teve baixa de 0,05%.

A libra bateu mínima em um mês ante o dólar e o menor patamar em dois meses ante o euro, após uma pesquisa de opinião mostrar uma forte queda no apoio ao Partido Conservador. Uma revisão para baixo no Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido no primeiro trimestre, divulgada na quinta-feira, também contribuiu para o movimento no câmbio. A fraqueza da libra deixa os produtos do país mais baratos no exterior, por isso as ações de companhias que vendem para outras nações se beneficiaram.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,40%, em 7.547,63 pontos. Na semana, o FTSE-100 teve ganho de 1,03%. Entre as ações mais negociadas hoje, Kodal Minerals subiu 2,42%, Vodafone teve ganho de 0,92% e, entre as mineradoras, Glencore subiu 0,38%, mas Anglo American teve baixa de 0,47%. No setor bancário, Lloyds caiu 1,86% e Barclays recuou 1,12%.

Em Frankfurt, o índice DAX teve baixa de 0,15%, a 12.602,18 pontos. Na comparação semanal, o índice caiu 0,29%. O setor bancário alemão também não se saiu bem: Deutsche Bank e Commerzbank caíram 2,14% e 1,53%, respectivamente. No setor de energia, E.ON caiu 1,09%. Entre as montadoras alemãs, BMW caiu 1,09% e Daimler recuou 0,18%, pressionadas após o presidente dos EUA, Donald Trump, dizer que os alemães são "malvados" por venderem mais carros ao país dele do que importam dos americanos, segundo a mídia alemã.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 caiu 0,01%, a 5.336,64 pontos, e na semana subiu 0,23%. Société Générale teve queda de 1,64% e BNP Paribas recuou 0,26%, mas ArcelorMittal teve ganho de 1,71% e Orange, de 0,25%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB teve queda de 0,38%, para 21.210,57 pontos, recuando na comparação semanal 1,66%. Entre os bancos italianos, Intesa Sanpaolo caiu 1,58% e UniCredit recuou 1,19%, mas Banco BPM subiu 0,53%. A petroleira ENI teve baixa de 2,32% e Telecom Italia caiu 0,42%.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 fechou em baixa de 0,31%, a 10.904,20. Na comparação semanal, subiu 0,63%. Santander caiu 0,31% e Banco Popular Español teve baixa de 1,18%, mas Bankia avançou 0,96% e Sacyr teve ganho de 0,89%.

Em Lisboa, o PSI-20 teve baixa de 0,35%, para 5.226,58 pontos. Na comparação semanal, por outro lado, o índice da bolsa portuguesa subiu 0,96%. Entre os papéis em foco hoje, Banco Comercial Português caiu 1,09% e EDP Renováveis recuou 0,17%, enquanto Galp Energia cedeu 2,05%. Já Montepio Geral se destacou e avançou 2,44%. Com informações da Dow Jones Newswires

Banner Whatsapp Desktop
GAL COSTA

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia o retorno do ensino presencial em escolas públicas ainda no ano de 2020?

Votar
Resultados
TJ MS INTERNO
pmcg ms
TJ MS