29 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
VARIEDADES

Um Belo filme dos Taviani, resistente às Polêmicas

Por melhor que seja o filme é a atração desta segunda, 13, no Cineclube da Arte 1

13 julho 2020 - 06h15
Os irmãos cineastas serão atração no próximo Cineclube da Arte
Os irmãos cineastas serão atração no próximo Cineclube da Arte - (Foto: Divulgação)

Em 1977, os irmãos Taviani já possuíam uma carreira de mais de dez anos no cinema político quando ganharam a Palma de Ouro por Pai Patrão. Por melhor que seja o filme - atração desta segunda, 13, no Cineclube do Arte 1, às 23 h -, o prêmio foi contestado. Um Dia Muito Especial, de Ettore Scola, também concorria, e não levou nada. Roberto Rossellini presidia o júri, e vinha defendendo que o futuro do cinema era a parceria com a TV. Os Taviani eram produzidos pela RAI. Sobraram críticas ao 'jeitinho' italiano.

Do júri participavam Pauline Kael, Marte Keller e Jacques Démy. É pouco provável que tenham aceitado qualquer apadrinhada. E o filme é um marco. Baseia-se no livro de Gavino Ledda, em que ele conta como, de um pastor analfabeto na Sardenha, tornou-se um grande conhecedor/estudioso da língua italiana.

Para isso, teve de vencer a resistência do pai patrão, que queria que ele permanecesse ignorante e submisso. O próprio Ledda legitima a abordagem dos Taviani, entrando em cena para entregar ao ator Omero Antonutti o bastão com que o pai castiga o filho no começo. Na sequência viriam A Noite de São Lourenço, Kaos, César Deve Morrer. Polêmicas à parte sobre a Palma, o filme os Taviani são grandes. 

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS INTERNO

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já sabe em quem votar para prefeito de seu município?

Votar
Resultados
GAL COSTA
TJ MS
pmcg ms