05 de dezembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
maracaju natal
cinema

MIS E UFMS apresentam "Sol Alegria" na segunda exibição da Mostra de Cinema Brasileiro Contemporâneo

Com um humor surreal que pode ser comprovado especialmente na insurreição desejada pelas personagens do Sol Alegria

27 outubro 2020 - 07h25
Sol Alegria
Sol Alegria - (Foto: Reprodução)
Fort Atacadista Natal

Nesta quarta-feira (28), Sol Alegria” será o segundo filme exibido da Mostra de Cinema Brasileiro Contemporâneo Online, projeto de parceria entre o Museu da Imagem e Som (MIS), da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), e a Faculdade de Audiovisual da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Para assistir ao filme e acompanhar o debate o interessado deve estar no grupo de WhatsApp ou preencher o formulário disponibilizado nas redes sociais da Fundação de Cultura.

O professor Vitor Zan, do curso de audiovisual da UFMS, explica que o filme foi escolhido por pertencer a uma seleção de produções que tiveram repercussão em festivais, que têm propostas estéticas inventivas, mas não chegam ao Estado embora representem a cultura fílmica do país. No caso de Sol Alegria, Zan destaca seu diálogo com a contracultura e o flerte com o pornochanchada: “Também percebo uma relação com a tradição tropicalista da arte brasileira, dialogando também, embora sobretudo na esfera do conteúdo, com o que foi o Cinema Marginal nos anos 1970”, afirma.

Ainda, segundo o coordenador do evento, em “Sol Alegria” há um grande exercício de liberdade que, embora nas figuras que o filme mobiliza, uma ode à arte, à experimentação, a corpos mais livres, um desejo de corromper o imaginário das instâncias conservadoras da sociedade, exemplificado no grupo de freiras ultraprogressistas. “É uma espécie de road movie tropicalista, conjugando ficção científica com uma estética mais exagerada, artificial e performática. Um filme libertador como poucos”, complementa o professor de audiovisual da UFMS, Júlio Bezerra, que também coordena o projeto.

Para a coordenadora do MIS, Marinete Pinheiro, a primeira sessão deu o tom do projeto. "O primeiro encontro foi bem gratificante, tivemos a presença de um dos diretores que nos contou curiosidades do Set de filmagem, trazendo uma configuração real da produção e da relação entre a equipe na produção do cinema brasileiro dos nossos dias, e convidamos a todos para nosso próximo encontro".

Produzido com a direção do cineasta paraibano Tavinho Teixeira e lançado em 2018, Sol Alegria fala de uma sociedade governada por pastores corruptos que contam os dias para o apocalipse. Armados, uma família anarquista coloca o pé na estrada com a missão de matar um candidato a presidente da república e acabam parando num convento onde as freiras os aguardavam. Lá, eles se preparam para voltar a estrada rumo a aldeia Só Alegria, que é seu destino.

Com um humor surreal que pode ser comprovado especialmente na insurreição desejada pelas personagens do Sol Alegria, o filme dialoga com o cenário contemporâneo do país com questionamentos à liberdade e às diferenças.

O debate que ocorrerá na próxima quarta-feira, 28 de outubro de 2020, contará com a participação dos diretores do filme, Mariah Teixeira e Tavinho Teixeira e será transmitido às 19 horas. Para mais informações acesse o site fundacaodecultura.ms.gov.br e siga nossas redes sociais no Youtube, Instagram e Facebook.

Banner Whatsapp Desktop
Natal Comper

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia a volta de algumas medidas restritivas como o toque de recolher na capital?

Votar
Resultados
Comper sem sair de casa
PREF DE MJU
Departamento de Operações de Fronteira - Disque Denúncia