25 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
TCE - Devolução Auxílio Emergencial
DIMINUIÇÃO DOS CASOS

Não há possibilidade de colapso no sistema de saúde de MS por conta da Covid-19, diz estudo

O valor da média móvel do número de casos confirmados em 21 de setembro é 660,71, contra 847,71 há sete dias, redução de 22.06%

22 setembro 2020 - 16h10Carlos Ferreira
Já com relação ao número de óbitos, houve redução de 25,56% dos valores das médias móveis, saindo de 17,57 há 21 dias para 13,43 nessa última segunda-feira
Já com relação ao número de óbitos, houve redução de 25,56% dos valores das médias móveis, saindo de 17,57 há 21 dias para 13,43 nessa última segunda-feira - (Foto: Edemir Rodrigues)
Fort  Atacadista - 21 ANOS

O estudo matemático realizado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), divulgou nesta terça-feira (22) que não há indícios de colapso no sistema público de saúde de MS para os próximos dias.

Segundo o levantamento, a quantidade de pacientes internados em leitos clínicos reduziu de 271, em 14 de setembro, para 240 na data de ontem (21) e a quantidade de pacientes internados em UTIs reduziu de 230 para 219 no mesmo período.

O valor da média móvel do número de casos confirmados em 21 de setembro é 660,71, contra 847,71 há sete dias, redução de 22.06%.

Já com relação ao número de óbitos, houve redução de 25,56% dos valores das médias móveis, saindo de 17,57 há 21 dias para 13,43 nessa última segunda-feira.

“Ou seja, a partir de amanhã é esperado que o número médio de pessoas infectadas comece a reduzir. Além disso, as projeções não indicam a possibilidade de colapso do sistema público de saúde”, afirmam.

Outra boa notícia, segundo os pesquisadores, é que o número de reprodução (transmissão da doença) calculado é de 1,08.

“Esse valor indica que estamos muito próximo do valor de estabilidade da doença, que é 1,0. De acordo com a escala denominada de Covidímetro, proposta por professores da UFRJ, este valor indica um risco moderado de propagação da doença”, expõem.

Já em Campo Grande, com relação aos números divulgados, houve redução no número de pacientes internados, passando de 308, no dia 13 de setembro para 282 em 20 de setembro.

A quantidade de pacientes internados em leitos clínicos reduziu de 165 para 149, no mesmo período e a quantidade de pacientes internados em UTIs reduziu de 143 para 132.

O valor da média móvel do número de casos confirmados em 20 de setembro é de 294,57. Comparado ao valor da média móvel de sete dias atrás (412,43), houve redução de 28.58%.

Com relação ao número de óbitos, nos últimos 20 dias o valor da média móvel variou entre seis a oito óbitos diários, com número de reprodução de Campo Grande se mantendo em 1,06.

“Como sempre enfatizado nos relatórios anteriores, esses resultados mostram a necessidade de a população continuar seguindo as orientações de especialistas da área da saúde para se manter o isolamento social sempre que possível. Este procedimento é necessário para mantermos o cenário de achatamento da curva e evitarmos o início de um quinto cenário de crescimento da doença”, afirmam os professores  Erlandson Saraiva (Inma) e Leandro Sauer (Esan).

 

Banner Whatsapp Desktop
TCE - Devolução Auxílio Emergencial
Annelies