20 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
VOLTA ÀS AULAS

Escolas particulares de Campo Grande que retornaram aulas presenciais são alvos de fiscalizações

Ao todo cinco escolas foram visitadas

26 setembro 2020 - 10h55Geliel Oliveira
Funcionários da Funlec higienizando o local
Funcionários da Funlec higienizando o local - (Foto: Divulgação/MPMS)
Fort  Atacadista - 21 ANOS

As escolas particulares que optaram pela volta do ensino presencial em Campo Grande foram alvo de fiscalização do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) na última quinta-feira (24). Ao todo cinco escolas foram visitadas. 

As escolas sujeitas as vistorias foram Escola General Osório, Colégio Impacto, Ativa Idade Educação Infantil, Escola Paulo Freire e Escola Funlec, o objetivo era verificar se os requisitos obrigatórios das normas de biossegurança do decreto municipal estavam sendo cumpridos.

“Nesse primeiro dia de fiscalização foi muito gratificante observar que as escolas visitadas estão realmente preocupadas em cumprir as regras de biossegurança. A aceitação das crianças é surpreendente”, disse a Promotora de Justiça Vera Aparecida Cardoso Bogalho Frost Vieira.

Conforme publicado no Diário Oficial a Prefeitura acatou o pedido dos representantes das escolas particulares de Campo Grande para a volta às aulas das crianças do ensino infantil, de zero a cinco anos, com 30% da capacidade das escolas, no dia 21 de setembro.

A próxima reunião está marcada para o dia 1º de outubro, oportunidade em que será feita uma primeira avaliação do resultado. Até lá, as fiscalizações continuam.

“Constatar in loco que as escolas estão bem estruturadas é muito importante. Principalmente nesse retorno para que as crianças que estão de volta se sintam seguras, o que nos dá também segurança de dar continuidade ao trabalho”, Finalizou a Promotora de Justiça Filomena Aparecida Depolito Fluminhan.

Representantes dos órgãos do Grupo de Atuação Especial de Educação (GEDUC), Promotoria de Justiça, Promotoria de Justiça da Saúde, Grupo de Atuação Especial de Defesa da Saúde (GAEDS) e representantes do MPMS participaram da ação.

Banner Whatsapp Desktop
PMCG
AL MS