30 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Campanha Bonito Seguro - Fase 2
CORONAVÍRUS

SES alerta que Covid-19 não está controlada no MS e que população precisa fazer os testes

O comunicado vem no momento em que ocorre uma grande dimuição na procura por realização de de testes rápidos e convencionais

18 setembro 2020 - 17h05
62,8 mil casos de infecção pela doença já foram registrados no MS
62,8 mil casos de infecção pela doença já foram registrados no MS - (Foto: Saul Schramm)
Fort  Atacadista - 21 ANOS

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) acendeu o alerta nesta semana após registrar expressiva redução na realização de testes rápidos e convencionais RT-PCR em Mato Grosso do Sul. Dados das últimas três semanas epidemiológicas apontam para índice de queda em três, das quatro macrorregiões da saúde do Estado.

Com 62,8 mil casos registrados e somado a alta taxa de contágio, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, foi categórico ao afirmar nesta sexta-feira (18), que não é o momento de a população abrir mão dos testes, uma vez que a Covid-19 não está controlada no Estado.

“Acredito que alguns meios de comunicação e alguns gestores municipais tenham passado uma impressão errada quanto a evolução do coronavírus no Estado. Isto faz com que a população entenda que a doença está sob controle, mas está longe disto. A Covid-19 está presente e estamos com uma alta taxa de contagiosidade em Mato Grosso do Sul”, alerta Geraldo Resende.

Resende afirma que a Covid-19 é algo novo e que ainda requer muitos estudos para saber quais são os impactos. “É um vírus muito perigoso. De cada 100 exames realizados pela SES, 30 a 35% são testados positivos. Então, quanto mais testes tivermos, melhor vamos compreender essa doença e melhor podemos planejar nosso enfrentamento”.

O secretário ressalta ainda que “não podemos desprezar a magnitude da doença, a população tem que ficar atenta ao surgimento de quaisquer sintomas ou contato com caso confirmado. A omissão no comparecimento ou agendamento pode fazer com que a pessoa contamine outras pessoas e leve o vírus para casa”.

E faz um pedido, “não deixem de procurar os Drive-Thrus ou as unidades de saúde de cada município. Gestores e secretários municipais, não deixem de fazer a coleta. Criamos uma ferramenta para fazer o rastreamento de novos casos, mas para isso, precisamos da colaboração de todos”.

Queda nas testagens

Dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) relevam que entre a 35ª e 37ª semana epidemiológica houve um decréscimo quanto à procura pela realização de testes no Estado. Na região de Dourados, a redução foi de 3,22%. De Três Lagoas chegou a 16,66%. E Campo Grande registrou a maior queda, com 25,29%. As quedas ocorreram tanto nas unidades de saúde quanto nos Drive-Thrus. Somente a região de Corumbá registrou alta de 7,72% na realização de testes.

O impacto também foi sentido no posto de testagem instalado na E. E. Lúcia Martins Coelho em Campo Grande. Neste caso, a redução nos atendimentos devido à baixa procura chegou a 55%. O local foi criado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, para atender justamente aquelas pessoas que precisavam fazer os testes fora do horário de trabalho.

Ações de enfrentamento

Geraldo Resende lembra que diversas ações de enfrentamento à Covid-19 foram tomadas pelas SES nestes seis meses de pandemia. “Não deixamos faltar leitos e nem testes para o cidadão sul-mato-grossense. Compramos uma máquina que nos permite fazer a análise de 1,2 mil testes, junto com a do Ministério da Saúde, vamos chegar a 1,8 mil testes/dia. Montamos toda uma estrutura para fazer do Lacen um dos melhores laboratórios do país e estamos há cinco semanas como primeiro colocado em transparência quanto às ações da Covid-19”, pontua.

“Fizemos investimentos importantes para Mato Grosso do Sul ser referência no país. Proporcionalmente, estamos em terceiro lugar no país em testagem, mas com as novas máquinas adquiridas podemos ocupar a primeira posição e passar a ser o Estado que mais testa. Quanto mais testes realizarmos, mais conhecemos essa doença”, afirmou o secretário.

Banner Whatsapp Desktop
TCE - Devolução Auxílio Emergencial
Annelies