22 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
estruturada

Sindicato dos Despachantes inaugura sede nova já estruturada para modelo pós pandemia

Para a categoria dos despachantes, o fechamento de vários órgãos, entre eles o Detran, e a exigência de isolamento social foi o período de reavaliação e o balanço, após nove meses, é positivo

4 dezembro 2020 - 17h27Assessoria de comunicação
Por conta da pandemia da Covid-19, empresas e instituições tiveram de se reinventar para manter seus negócios
Por conta da pandemia da Covid-19, empresas e instituições tiveram de se reinventar para manter seus negócios - (Foto: Divulgação)

Por conta da pandemia da Covid-19, empresas e instituições tiveram de se reinventar para manter seus negócios. Para a categoria dos despachantes, o fechamento de vários órgãos, entre eles o Detran, e a exigência de isolamento social foi o período de reavaliação e o balanço, após nove meses, é positivo. Segundo o Sindicato dos Despachantes do Estado (Sindesp MS), o aumento dos serviços foi de 30% em relação ao ano anterior, no mesmo período, em Mato Grosso do Sul. Alguns profissionais registram aumento de até 50%.

"No início da pandemia também ficamos muito preocupados, porque tivemos que fechar os escritórios, reduzir o horário de atendimento, mas logo em seguida a procura começou a aumentar e percebemos uma mudança no comportamento do consumidor, que busca por segurança e agilidade na sua documentação", diz o presidente do sindicato, Márcio Barbosa de Carvalho. Uma tendência comportamental que, acredita, veio para ficar. As pessoas estão se adaptando a esse novo estilo de vida, então acreditamos que isso se torne mais constante. As pessoas que usam o despachante, que conhecem o nosso trabalho, não deixam de nos procurar. É mais prático, mais rápido e muito mais seguro. Facilita a vida das pessoas, pois no máximo em 48h ele está com sua documentação pronta, sem precisar mexer com tanta burocracia", explica.

Sala de informática 

Inauguração – Nesta sexta-feira, 04/12, o Sindicato inaugurou a nova sede, também construída em plena pandemia, em prazo recorde. E Márcio garante: a obra contempla um modelo de atendimento para os profissionais despachantes para uma época pós pandemia: salas espaçosas equipadas com equipamentos de informática para agilizar o trabalho, bem como uma agência do Detran exclusiva para o atendimento dos sindicalizados. “É a comodidade nos processos de documentação que o cidadão precisa e o conforto e tranquilidade para garantir mais segurança para a saúde dos nossos profissionais”, afirma Márcio. 

O presidente do Conselho Regional dos Despachantes e Documentalistas, Sebastião José da Silva, lembra que a vinda de um posto do Detran para o Sindicato – que se tornou uma referência em todo País a partir de 2002, mostra a importância desse ato para a agilidade de todo processo. “Agora com a construção do prédio, atendendo todas as normas de biossegurança, amplo estacionamento e com estrutura já adequada para esse novo cenário vai iniciar uma nova etapa. E quem sai ganhando é o cidadão”.

Auditório

Os números têm provado isso. Além do crescimento do serviço, o Detran-MS tem batido recordes também. De acordo com o presidente do Detran-MS, Rudel Trindade, só em novembro, a instituição recebeu R$ 2 milhões de inadimplentes e realizaram, até a data, 166 mil documentos. “A inauguração de uma sede estruturada, com um posto do Detran, vai melhorar a agilidade do serviço oferecido à população, além de reduzir o fluxo, algumas vezes até desnecessário, na nossa instituição”.

Nova sede – A nova sede fica na Rua Orfeu Baís, 407, bairro Amambaí, na Capital. O Sindicato conta hoje com mais de 60 empresas associadas em todo o Estado.

Sentados: Rudel Trindade (Detran), José Sebastião (Conselho) e Márcio (Sindesp), em pé: Núbia Vaz gerente do posto do Detran

 

Banner Whatsapp Desktop