05 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
MEIO AMBIENTE

Pesquisas da Embrapa serão apresentadas em simpósio internacional

O II Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa acontecerá no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, entre os dias 7 e 9 de junho

31 maio 2016 - 11h57DA REDAÇÃO COM INFORMAÇÕES DA ASSESSORIA
Durante vento serão apresentadas pesquisas sobre agropecuária
Durante vento serão apresentadas pesquisas sobre agropecuária - Divulgação
Cassems

O II SIGEE - Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa será um momento de oportunidade para que produtores rurais, especialistas, estudantes e trabalhadores do setor possam  conhecer pesquisas e avaliações sobre o tema. Um exemplo é que uma das palestras será ministrada durante o evento, pelo pesquisador da Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Giampaolo Queiroz Pellegrino, com o tema: 'Mitigação e adaptação às mudanças do clima: contribuição da pesquisa agropecuária brasileira". 

O II SIGEE acontecerá no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande, entre os dias 7 e 9 de junho. O simpósio é promovido pelo Sistema Famasul e pela Embrapa Gado de Corte - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, em parceria com diversas instituições públicas e privadas. A finalidade do simpósio é compartilhar novos conhecimentos sobre a dinâmica de gases de efeito estufa na agropecuária brasileira. 

Durante o evento, Pellegrino apresentará as pesquisas da instituição sobre as mudanças climáticas. "Mostraremos os resultados de alguns trabalhos vinculados à pecuária de corte e a emissão de gases de efeito estufa", relaciona o pesquisador que reforça que o principal efeito do estudo da Embrapa é a transferência de pesquisa/tecnologia em política pública. 

O pesquisador cita que o setor produtivo é referência no assunto sustentabilidade, devido às ações adotadas pelos produtores nas últimas décadas. "São métodos mitigadores ou adaptativos aplicados no campo, como: recuperação de pastagens degradas, inclusão de material orgânico no solo, plantio direto, fixação biológica de nitrogênio, aumento da área florestal, manejo adequado de dejetos da pecuário e sistemas de integração", enumera Pellegrino. 

Na avaliação do pesquisador, ainda existe uma lacuna para que a ciência desenvolvida nos laboratórios chegue até o campo. "Não é o agricultor, o pecuarista, que tem que bancar isso, é preciso política pública de recurso à capacitação", reforça. 

Simpósio 

O II Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa na Agropecuária (II SIGEE) é realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e Sistema Famasul, com patrocínio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Sicredi e Reflore MS. 

O evento tem ainda o apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Rede ILPF, Unipasto, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), Sistema OCB/MS, Fiems, Instituto Senai, Sebrae, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e WRI Brasil. 

Banner Whatsapp Desktop

Deixe seu Comentário

Veja Também

Mais Lidas

Banner TCE