23 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
SENAR -  Curso Técnico Agropecuário
Saúde

Três motivos para planejar seu plano de saúde da mesma forma que a Previdência

MÊS DA ECONOMIA COMPER

A Plena Saúde dá dicas de como planejar seu plano de saúde da melhor forma possível.

O Brasil terminou o ano de 2013 com 50,3 milhões de beneficiários de planos de saúde, com uma variação pequena de 4,6% em relação ao ano anterior. O número de pessoas cobertas corresponde a 25,9% da população brasileira.

Os dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) mostram que o plano de saúde não é considerado prioridade para o brasileiro: levantamento do Datafolha para o Instituto aponta que o item vem depois de casa própria e educação.

Os indicativos mostram que o brasileiro não dá ao plano de saúde a mesma importância que dá à previdência. Raramente pensa na cobertura quando chegar à terceira idade. No entanto, o investimento vale a pena.

CONFIRA OS TRÊS MOTIVOS

1 – Planejamento em longo prazo – pensar na própria vida daqui alguns anos ajuda a tomar decisões que evitam surpresas desagradáveis, como doenças e lesões. Todos buscam uma aposentadoria saudável, mas poucos realmente tomam essa decisão enquanto são jovens. 

Quanto antes a pessoa adquirir um plano, mais benefícios ela terá mais para frente, garantindo uma cobertura integral. Fazer um planejamento que engloba não só o ano corrente, mas leva em conta décadas à frente é essencial para atingir todos os objetivos que o usuário tem em mente. 

2 – Prevenção – adquirir uma cobertura pessoal permite a inclusão de dependentes e amplia a segurança para todos os membros da família. Dessa forma, a pessoa tem um atendimento de qualidade na especialidade que precisar e sem ter que esperar por muito tempo. 

3 – Economia – para que o plano valha a pena o usuário precisa pesquisar e comparar dados. Calcular a faixa etária, gênero dos familiares, doenças pré-existentes e até proximidade geográfica com a rede credenciada ajuda a gastar o mínimo possível.

O ideal, porém, é observar sempre a relação custo/benefício e não somente o preço. O plano mais barato hoje pode se transformar no mais caro daqui alguns anos quando realmente precisar utilizá-lo e descobrir que muitas áreas não estão inclusas na cobertura. 

Plano de saúde não é gasto, é investimento. Ele precisa ser encarado da mesma forma que a contribuição com um plano de previdência privada: uma estratégia a longo prazo que oferece segurança, tranquilidade e conforto para seus usuários.

* Grupo Plena Saúde é uma iniciativa do clínico geral e gastroenterologista José Luiz Ranieri para levar atendimento médico e hospitalar com qualidade e estrutura à região noroeste de São Paulo, proporcionando aos seus 53 mil associados a excelência na prestação de serviços de prevenção, manutenção e do restabelecimento da saúde.

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS