28 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
PMCG
POLÍTICA

Justiça cria força-tarefa para ajudar juiz responsável pela Lava Jato no Rio

16 maio 2017 - 16h53
O FLOR DA MATA - NOTICIAS

A Justiça federal decidiu criar uma força-tarefa com oito servidores e três estagiários para darem apoio técnico-jurídico ao juiz federal Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. O titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio também terá reforço de uma juíza substituta, que atuará nos casos não relacionados à Lava Jato, conforme informou mais cedo o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

O grupo atuará pelo prazo de seis meses, podendo ser prorrogado após pedido de Bretas. A autorização para a criação da força-tarefa foi dada pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, André Fontes. A 7ª Vara tem hoje 13 servidores, número que subirá para 21.

Na justificativa, o desembargador citou "o grande volume de processos" recebidos pela 7ª Vara Federal Criminal, relacionados à Lava Jato e seus desdobramentos. Um deles é a Operação Calicute, que investiga esquema de corrupção que seria liderado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral. Fontes também citou "as peculiaridades e a notória repercussão de tais processos".

Em portaria publicada nesta terça-feira, 16, o presidente do tribunal detalhou que a força-tarefa terá seis servidores da presidência indicados para prestar o apoio sob orientação de Bretas. Renan Fraga Tostes será o coordenador do grupo.

Além desse pessoal, a presidência do TRF-2 disponibilizará dois servidores do tribunal e três estagiários de nível superior para prestarem serviços na secretaria da 7ª Vara Criminal.

Bretas também terá reforço a partir de 18 de julho da juíza Caroline Vieira Figueiredo, substituta na 3ª Vara Federal de Volta Redonda. Ela prestará auxílio à 7ª Vara até 19 de dezembro. A magistrada trabalhará nos processos em trâmite na 7ª Vara, com exceção aos ligados à Lava Jato e às investigações da Eletronuclear. A juíza também não atuará nos desdobramentos da Lava Jato.

A corregedora regional da Justiça federal da 2ª Região, a desembargadora Nizete Antônia Lobato Rodrigues Carmo, foi quem designou a juíza Caroline Vieira Figueiredo para dar apoio à 7ª Vara.

No ano passado, o Ministério Público Federal (MPF) também criou uma força-tarefa de procuradores para atuarem nos casos. Em um primeiro momento, o grupo atuaria por três meses e tinha três procuradores. A força-tarefa segue ativa até hoje e já tem dez procuradores, sendo que dois atuam em colaboração.

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS INTERNO

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já sabe em quem votar para prefeito de seu município?

Votar
Resultados
GAL COSTA
pmcg ms
TJ MS