09 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
LEGISLATIVO ESTADUAL

Deputada questiona Cimi por não apoiar direito de propriedade indígena

“Os índios precisam ser vistos como cidadãos em sua plenitude, com direitos e deveres", disse Mara Caseiro na tribuna

15 junho 2016 - 20h08Da redação
Parlamentar ocupou a tribuna para falar dos conflitos por terras
Parlamentar ocupou a tribuna para falar dos conflitos por terras - Divulgação
Cassems

A deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB) afirmou nesta quarta-feira (15) que o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), apesar de “anunciar aos quatro cantos do mundo” que apoia os povos indígenas, não defende que eles tenham o direito de propriedade.

Ao contrário de qualquer brasileiro, que detém seus títulos de posse, os indígenas são apenas usufrutuários de terras cuja propriedade é da União.

“Os índios precisam ser vistos como cidadãos em sua plenitude, com direitos e deveres, incluindo o direito de propriedade. Por que será que hoje esses organismos internacionais, essas pessoas que dizem defender o índio, não defendem que o índio tenha o direito de ser proprietário de suas próprias terras? Esse é um direito básico de qualquer cidadão. Mas o engraçado é que eles não querem. Por que as terras deles têm de ser da União? Isso é um absurdo!”, disparou.

A deputada defende que os indígenas não apenas tenham o título de suas terras, mas que seja realizada no Brasil uma reforma agrária indígena.

Mara Caseiro também criticou o governo petista da presidente Dilma Rousseff, que decretou demarcação administrativa de novas terras indígenas um dia antes de ser afastada do cargo.

“Não sabemos como foram feitos os laudos, se isso tem fundamento. O que vemos é que tanto o PT quanto o Cimi querem aterrorizar o novo governo, que está tentando acertar. O que eles querem é a guerra”, protestou.

Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE
Cassems