08 de março de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
Negócios

Sem dar certo, prédio do Shopping 26 de agosto será comprado para TJ-MS

17 dezembro 2013 - 16h30
Cassems

O centro comercial não deu certo e assim o espaço do atual Shopping 26 de Agosto, no centro de Campo Grande, será transformado em Centro da Justiça. O prédio será comprado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, que transformará local em sub sede do TJ-MS (Tribunal de Justiça de MS). A área será assumida pelo Poder Público, em uma transação pouco 'comum', para dar destino a um empreendimento particular, que não prosperou devido ao formato igual ou sem novidades dentro do próprio comércio central da Capital.

Foram dois anos e três meses, até hoje, de portas abertas, mas o que no inicio do ano até já tinha sido 'ventilado, que o Shopping estaria à venda por R$ 50 milhões, se concretizou, via poder público, nesta segunda-feira (16). O Estado entrou 'na jogada' e com um decreto de desapropriação publicado ontem, o espaço será vendido ao Tribunal de Justiça, mas por R$ 38 milhões, calculado e ajustado no decreto.

A ação, já vinha sendo programada, pois o centro de compras, estava parado, com comerciantes já fora do local, todos reclamando do prejuízo e com 'sonhos' perdidos no caminho. O próprio proprietário do empreendimento, Rubens Saad, ratificou a decisão porque o centro comercial não teve o movimento esperado. Com investimento de R$ 25 milhões, o shopping apostou na linha popular, com produtos importados da China. Mas, talvez não se ativeram ou pensavam que concorreriam 'bem' com o Camelódromo, a alguns metros do local.

Na inauguração, em setembro de 2011, já se abriu 320 das 550 lojas para funcionar no local. Hoje, conforme Saad, são apenas 20 lojas de portas abertas. O centro comercial, localizado no entre as ruas 7 de Setembro, 26 de Agosto a avenida Calógeras, também abriga o Posto de Identificação Central de Campo Grande e uma agência dos Correios. Sem saída, lojistas já torciam pela venda de shopping, bem como os administradores. "A venda do empreendimento também é a salvação para o grupo", Rubens Saad.

TJ-MS viu e para a Justiça será uma ótima área para atender população

Com localização na área central, privilegiada pelo fácil acesso e com estacionamento próprio, o prédio do Shopping 26 de Agosto, foi visto pela direção do TJ-MS como uma ótima área para comportar instância da Justiça no Estado e para atender população. Assim, foi pedido o decreto de desapropriação pelo Governo do Estado, que saiu nesta segunda-feira (16) e será vendido ao Tribunal.

A compra deverá ser feita para atender juizados cíveis e criminais, a Escola do Judiciário do Estado, o Núcleo de Soluções de Conflitos, o Centro Integrado de Infância e Juventude e a Central de Processamento Eletrônico.

Segundo a assessoria do TJ-MS, a avaliação do local foi feita pela Secretaria de Obras do Estado, pelo próprio Tribunal, por peritos particulares, e pelo Crea, que chegaram ao valor de R$ 38 milhões.

Mas sem previsão de TJ abrir suas portas no local

O processo de transformação começou, no papel, mas não há previsão para a mudança do 'endereço', já que não se sabe quanto tempo pode durar ao próprio processo de desapropriação. Como ainda, serão necessários reparos no prédio para a divisão de espaço para os atendimentos.

Após a declarada de utilidade pública, oficializada ontem, o TJ-MS está autorizado a promover a desapropriação em nome do Estado ou mediante convênio com a Procuradoria-Geral. O Estado de Mato Grosso do Sul também poderá invocar caráter de urgência na desapropriação.

 

Banner Whatsapp Desktop
Banner TCE