05 de dezembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
maracaju natal
VARIEDADES

Outono e inverno são as estações que mais desencadeiam rinite alérgica

As estações de outono e inverno são mais favoráveis à piora da rinite alérgica já que há um maior contato com alérgenos e com agentes infecciosos em ambientes internos e de poluentes em ambientes externos

23 maio 2017 - 15h29Da Redação
A inalação de poluentes por indivíduos com rinite alérgica potencializa o processo inflamatório preexistente na mucosa nasal
A inalação de poluentes por indivíduos com rinite alérgica potencializa o processo inflamatório preexistente na mucosa nasal - Divulgação
Fort Atacadista Natal

A rinite é um processo inflamatório da mucosa nasal, que pode ser agudo quando se trata de infecções virais ou bacterianas. Já nos casos crônicos, destaca-se a rinite alérgica, que tem como sintomas o prurido nasal e/ou ocular, coriza, obstrução nasal e espirros, fora de períodos de resfriados. A rinite alérgica tem uma prevalência por volta de 20% na população brasileira (estudo populacional ISAAC). Como sintomas secundários estão os pruridos de palato de conduto auditivo. A inalação de poluentes por indivíduos com rinite alérgica potencializa o processo inflamatório preexistente na mucosa nasal. 

As estações de outono e inverno são mais favoráveis à piora da rinite alérgica já que há um maior contato com alérgenos e com agentes infecciosos em ambientes internos e de poluentes em ambientes externos. Sabe-se da existência de inversão térmica e maior contato com poluentes nesta época do ano. Os poluentes inalados promovem uma inflamação em uma mucosa nasal previamente inflamada pelo processo da rinite. Por outro lado, as mudanças bruscas de temperatura, em especial do quente para o frio, ocasionam uma diminuição nos batimentos ciliares da mucosa nasal, o que favorece a penetração de agentes infecciosos. “Os vírus tem uma facilitação à penetração na mucosa nasal inflamada do paciente com rinite”, explica a especialista Maria Cândida Rizzo, coordenadora do Departamento Científico de Rinite da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI).

Para tratar a rinite é preciso evitar o contato com os alérgenos inalados aos que o paciente apresenta sensibilização (aumento de IgE específico) e usar medicamentos que variam de acordo com a frequência e a gravidade de sintomas, além do uso de imunoterapia específica (vacinas contra os alérgenos que ocasionam sintomas). O tratamento, de modo global, visa a diminuição do processo inflamatório crônico que permeia os quadros de exacerbação de rinite alérgica.

Banner Whatsapp Desktop
Natal Comper

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia a volta de algumas medidas restritivas como o toque de recolher na capital?

Votar
Resultados
Comper sem sair de casa
PREF DE MJU
Departamento de Operações de Fronteira - Disque Denúncia