29 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
PMCG
INTERNACIONAL

Opositores vão às ruas e enfrentam a polícia após vitória de líder bielo-russo

Pesquisas de boca de urna apontam triunfo esmagador de Alexander Lukashenko, há 26 anos no poder e conhecido como o 'último ditador da Europa'

9 agosto 2020 - 20h34
Manifestantes enfrentam a polícia na Bielo-Rússia, em protesto contra fraudes na eleição
Manifestantes enfrentam a polícia na Bielo-Rússia, em protesto contra fraudes na eleição - (Foto: Arquivo)
O FLOR DA MATA - NOTICIAS

Saiba Mais

Pesquisas de boca de urna indicam que o presidente da Bielo-Rússia, Alexander Lukashenko, no poder há 26 anos, está virtualmente eleito para um sexto mandato. Ele comanda a ex-república soviética desde que venceu a última eleição livre no país, em 1994. Houve protestos nas ruas, mas a agência estatal de notícias disse que a polícia havia controlado os distúrbios no final da noite.

Lukashenko teria sido reeleito neste sábado, 9, com quase 79,7% dos votos, conforme as pesquisas, derrotando a candidata Svetlana Tikhanovskaya, que estaria com 6,8%. Protestos contra o resultado, que ainda não foi oficializado, começaram durante a noite, com a polícia atirando bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes, que revidaram com pedras.

A agência de notícias russa Ria Novosti e os sites de oposição bielo-russos tut.by e Nexta registraram os confrontos nas proximidades do monumento Stella na capital.

A revolta ocorre porque milhares de pessoas participaram dos comícios de Svetlana, mulher de um dos líderes das pesquisas informais da corrida presidencial, o popular youtuber Siarhei Tikhanovski. Ele foi preso no fim de maio e impedido de concorrer.

A votação de ontem não pôde ser acompanhada por observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), cujo objetivo é promover a democracia e dos direitos humanos no continente. Vários países europeus, incluindo a Alemanha, criticaram o processo eleitoral que excluiu dois dos principais candidatos da oposição ao presidente.

Cerca de 6,8 milhões de pessoas foram convocadas a participar do pleito. A atmosfera na capital Minsk era tensa, com forte presença da polícia e das forças especiais do governo nas ruas. Diversas pessoas relataram problemas para se acessar a internet no país.

Também ontem, três funcionários da emissora de televisão russa crítica ao Kremlin Doschd foram presos em Minsk.

Lukashenko, chamado de "o último ditador da Europa", estaria a caminho de conquistar seu sexto mandato consecutivo, mas analistas dizem que o homem forte da Bielo-Rússia pode enfrentar uma nova onda de protestos por causa de sua resposta equivocada contra a pandemia do novo coronavírus, a crise econômica e as violações aos direitos humanos.

Antes da votação, ele advertiu que a dissidência não seria tolerada e ele não desistiria de sua "amada" Bielo-Rússia. "Não vamos dar o país a vocês", disse o presidente, se referindo a seus oponentes, ao falar à nação no início da semana passada.

"A situação não deve ser subestimada, mas não há absolutamente nada que fundamente a tese de que a partir de amanhã o país vai estar no caos ou em conflagração ou guerra civil. Eu garanto isso", disse o presidente a repórteres um pouco após votar.

Banner Whatsapp Desktop
TJ MS INTERNO

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já sabe em quem votar para prefeito de seu município?

Votar
Resultados
FORT ATACADISTA - Carne Fresca (interno)
pmcg ms
TJ MS