21 de janeiro de 2021 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
#Saúde

Modelo matemático que calcula os casos de covid-19 em Campo Grande é substituído

Segundo professores responsáveis pelos dados, foi preciso sair de um modelo que projetava a estabilização do número de casos para um que projeta um cenário de aumento

1 dezembro 2020 - 21h39Paula Pimenta
Houve mudança no comportamento do modelo matemático
Houve mudança no comportamento do modelo matemático - (Foto: Saul Schramm)

Com o aumento do número da casos da Covid-19 ocorrido nos últimos quatorze dias em Campo Grande e no estado, houve mudança no comportamento do modelo matemático utilizado desde 14 de março deste ano pelos professores Erlandson Saraiva (Inma) e Leandro Sauer (Esan), enviado semanalmente à Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).

De 14 de março a 29 de novembro, foram registrados em Campo grande 45.280 casos com 770 óbitos, sendo que nos últimos 14 dias, foram registrados 6.264 novos casos da Covid-19.

Esse valor representa 69% do total de casos registrados no mês de novembro, sendo que na última semana houve aumento de 28,64% de pacientes internados.

O valor da média móvel de sete dias para o número de casos em 29 de novembro foi de 492 casos. Este é o maior valor registrado para a média móvel aqui em Campo Grande; superando até mesmo os valores registrados no mês de agosto, mês mais crítico em relação ao total de casos. Em quatorze dias mais que dobrou o valor da média móvel.

Segundo os professores, foi preciso sair de um modelo que projetava a estabilização do número de casos, para um que projeta um cenário de aumento do número de casos, como pode ser observado na figura abaixo.

“Além disso, o modelo que melhor explica este novo cenário é o modelo exponencial que têm como característica um crescimento muito acelerado. Ou seja, o modelo ajustado aos dados está mostrando um cenário extremamente preocupante. Como esta nova fase de crescimento ainda está no início, ainda não é possível estimar a data de ocorrência do novo “pico” da pandemia”, afirmam os pesquisadores.

Erlandson e Leandro enfatizam que os resultados mostram a importância de a população continuar seguindo as orientações de especialistas da área da saúde para se manter o isolamento social sempre que possível.

“Pois somente desta maneira, conseguiremos superar esta nova fase de crescimento do número de casos em um menor tempo possível; além de evitarmos o colapso do sistema público de saúde da cidade”, afirmam.

Mato Grosso do Sul

Na mesma trajetória, as quantidades confirmadas de casos da Covid-19 no estado também apresentaram aumentos nesta última semana. Foram confirmados 5.896 novos casos, valor que representa 36,85% do total de novembro.

A média-móvel de sete dias para o número de casos, passou de 647,43 para 842,29, ou seja, um aumento de 30,10%.

Comparado ao valor da média móvel de 14 dias atrás, houve aumento de 96,11% no valor médio do número de casos confirmados.

“Similar ao modelo ajustado para os dados Campo Grande, o modelo ajustado aos dados do MS também mostra um novo cenário de crescimento iniciado a partir do dia 15/ de novembro. Além disso, devido a pouco quantidade de dados desta nova fase de crescimento, ainda não é possível estimar a data de ocorrência do novo “pico” da pandemia no MS”, completam os pesquisadores.

Banner Whatsapp Desktop