22 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
Indústria

MG entra na disputa com o MS por fábrica da Petrobrás

Fort  Atacadista - 21 ANOS

Os planos da Petrobras de implantar novas fábricas de ureia e amônia - matérias-primas para a produção de fertilizantes - geraram uma disputa entre os Estados de Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, interessados em atrair o investimento.

Enquanto a estatal não define o local das novas unidades, as discussões fervilham nos bastidores e, segundo fontes, já levaram até o vice-presidente José Alencar a agir para assegurar que a produção fique em Minas, seu Estado natal.

O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) disse que o governador do Estado, Aécio Neves, já se dispôs a mandar construir, por meio da Gasmig, um duto ligando o Gasoduto Brasil-Bolívia à região do Triângulo Mineiro. O gás natural é matéria-prima necessária para a produção de amônia e ureia. O investimento no gasoduto, segundo Azeredo, chegaria a R$ 1,3 bilhão.

“O mercado consumidor de amônia, que são as fábricas de fertilizantes, estão no Triângulo Mineiro”, argumentou Azeredo. Além disso, segundo o senador, a Petrobras, “tem um débito com Minas Gerais”, já que, segundo ele, o único investimento de grande porte da empresa no Estado foi feito na década de 60, na construção da refinaria de Betim. Segundo o senador Delcídio Amaral, apenas uma das unidades custaria US$ 2 bilhões. “Sob o ponto de vista técnico e empresarial, não tenho dúvida de que a Petrobras vai optar pelo Mato Grosso do Sul”, disse Delcídio.

Banner Whatsapp Desktop
ALMS
PMCG