21 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Pesquisa

Industriários de MS não fumam, bebem pouco, não praticam exercícios e têm sobrepeso, diz pesquisa

Pesquisa destaca informações importantes dos industriários
Pesquisa destaca informações importantes dos industriários - Divulgação
Fort  Atacadista - 21 ANOS

A maioria dos trabalhadores das indústrias de Mato Grosso do Sul não fuma, bebe pouco, não pratica atividades físicas e tem sobrepeso, segundo a pesquisa “Estilo de Vida e Hábitos de Lazer dos Trabalhadores das Indústrias de Mato Grosso do Sul” realizada pelo Sesi/MS (Serviço Social da Indústria de Mato Grosso do Sul).

O levantamento, que será divulgado às 19 horas desta quinta-feira (04/09) no auditório do térreo da Casa da Indústria, entrevistou 1.933 trabalhadores de 61 empresas, sendo 39 de Campo Grande, três de Corumbá, 11 de Dourados e oito de Três Lagoas.

De acordo com a pesquisa, 71,9% dos trabalhadores entrevistados não fumam, 68,3% deles consomem pouca bebida alcoólica, 48,3% não praticam atividades físicas e 41,1% dos industriários têm prevalência de sobrepeso ou obesidade. Em aspectos gerais, também é possível afirmar que 62,7% dos trabalhadores da indústria no Estado são homens, 79,3% deles têm até 39 anos de idade, 53,3% são casados, 49,1% têm Ensino Médio completo e 77,5% possuem renda familiar mensal de até R$ 1.500,00.

“Com a realização da pesquisa conseguimos reunir pela primeira vez no Estado dados representativos do estilo de vida, indicadores de saúde e bem-estar, atividade física e lazer, além de hábitos alimentares, dos trabalhadores das indústrias de Mato Grosso do Sul”, pontua a técnica da área de Lazer do Sesi/MS, Gisele Freire.

• Tabagismo e alcoolismo

A pesquisa apontou que 71,9% dos trabalhadores da indústria sul-mato-grossense não fumam contra apenas 13,7% de fumantes. O número é animador se comparado aos dados nacionais recentemente divulgados pelo Ministério da Saúde (Sistema VIGITEL), que apontam uma prevalência média de 16,2% de fumantes na população adulta de todas as capitais brasileiras mais Distrito Federal.

Os detalhes da pesquisa demonstram ainda que a prevalência de fumantes foi maior entre os homens (16,1%) contra apenas 9,7% de mulheres. A proporção de trabalhadores que relataram um consumo exagerado ocasional de bebidas alcoólicas foi de 31,7%, sendo que a proporção foi significativamente maior entre os homens (38,5%) do que entre mulheres (20,3%).

A análise do consumo de bebidas alcoólicas considerou as respostas de duas questões: uma relativa ao consumo médio semanal e a outra relativa à ingestão de cinco ou mais doses em uma mesma ocasião nos últimos 30 dias.

• Atividade física e obesidade

A pesquisa demonstrou que a proporção de trabalhadores das indústrias que relataram não realizar qualquer forma de atividade física no lazer (exercícios físicos ou esportes) é de 48,3%. Entre os trabalhadores que estão fisicamente ativos, realizando exercícios ou praticando esportes, a maioria é de homens com 19,5% contra 13,1% de mulheres.

“A prática de atividades físicas está associada à prevenção de doenças crônico-degenerativas e a promoção da qualidade de vida, devendo ser incentivada em todas as idades”, considera Gisele Freire, lembrando que, os homens em geral relataram preferências por exercícios e esportes tradicionais mais vigorosos e as mulheres a preferência por atividades de lazer moderadas como a caminhada.

A maior prevalência de excesso de peso (41,1%), apontada pela pesquisa, foi observada entre os homens, entre os trabalhadores com 40 anos de idade ou mais e entre os com renda familiar mensal superior a R$ 1,5 mil.

• Saúde e Bem-estar

A pesquisa ainda pediu aos trabalhadores que apontassem a percepção sobre o seu estado de saúde. Sendo que 86,4% de homens e mulheres referiram uma percepção positiva de saúde (excelente ou boa), contra 13,6% negativa. No quesito percepção de bem-estar, no trabalho o índice chegou a 80,5%, no lar ficou um pouco maior com 86,4% e no lazer o índice de bem-estar é de 61,9%.

A proporção de trabalhadores que referiu não dormir bem com freqüência ou sentir-se frequentemente estressados foi de 21,3% e 15,5%, respectivamente. A percepção de estresse foi mais negativa entre as mulheres, em que a faixa etária, renda familiar mensal e porte da empresa não discriminaram essa variável.


• Lazer Ativo

A técnica da área de Lazer do Sesi/MS explicou que os resultados servirão para nortear os trabalhos do Programa Lazer Ativo, que está sendo implantado nas empresas do Estado e é desenvolvido pelo Sesi Nacional para promover a saúde com ênfase na divulgação de estilos de vida mais saudáveis. “O programa Lazer Ativo visa promover estilos de vida ativos e saudáveis, em companhia de amigos e familiares e em contato com a natureza. É isso que vamos propor nas intervenções nas empresas para que o trabalhador possa escolher melhor as opções de entretenimento”, destacou. Realizada no âmbito da marca Indústria Ativa, a divulgação da pesquisa “Estilo de Vida e Hábitos de Lazer dos Trabalhadores das Indústrias de Mato Grosso do Sul” faz parte da Semana de Promoção da Vida Saudável e caberá ao técnico Markus Vinícius Nahas, do Sesi/SC, que realizará ainda a palestra “Lazer Ativo e Qualidade de Vida do Trabalhador”. “Estamos realizando uma diversidade de atividades nas indústrias participantes e nas unidades da entidade em Campo Grande, Dourados, Três Lagoas e Corumbá. A pesquisa é mais um elemento que agrega informações oferecendo parâmetros para o desenvolvimento de ações”, ressaltou Gisele Freire.

Banner Whatsapp Desktop
AL MS
ALMS